quarta-feira, dezembro 31, 2008

Os desafios de Roberto

Amanhã Roberto Goés assume a Prefeitura de Macapá. Tomara que ele traga um feliz ano novo para os macapaenses, fazendo com que nossa cidade deixe de ser uma terra sem lei. Para isso, ele tem diversos desafios, entre eles :

- Moralizar a beira-rio, que está tomada de bêbados, pedófilos, ambulantes nas calçadas (e até na rua) e carros com som em volume máximo.
- Limpar a cidade, que virou uma imensa lixeira.
- Fazer cumprir a lei que estipula horário de fechamento para bares e boates.
- Fazer cumprir as diversas leis relacionadas à poluição sonora.

Clássicos do horror


Olha a coincidência. Eu aqui falando sobre os filmes expressionistas e encontro nas bancas uma nova coleção, Clássicos do Horror. O primeiro número traz justamente Nosferatu e Caligari. Além do DVD, vem uma revista contando detalhes sobre os filmes. Infelizmente, este primeiro número não traz a relação dos outros lançamentos.

terça-feira, dezembro 30, 2008

Nosferatu

O tema do meu TCC de especialização será uma análise do processo de adaptação que eu e o José Aguiar fizemos do filme O Gabinete do Dr. Caligari. Nos primeiros capítulos, falo sobre o cinema expressionista alemão. E um dos filmes mais importantes desse período é Nosferatu, que influenciou todo o cinema de terror norte-americano. Abaixo, um trailer. Reparem como as imagens transmitem a sensação de terror. Atenção para a cena do barco. A forma como a câmera se aproxima da embarcação deixa claro que algo ruim vai acontecer. É, os alemães podem não ter inventado o cinema, mas certamente contribuiram muito para a criação de uma linguagem cinematográfica, especialmente de terror.

sábado, dezembro 27, 2008

Na cabeça do rei


Comprei Supremo - a era moderna, quarto volume do personagem criado por Rob Liefield e escrito por Alan Moore. Moore aproveitou que o personagem era uma cópia discarada do Superman e resolveu fazer uma homenagem aos quadrinhos. Aliás, as primeiras histórias eram desenhadas pelo compadre Joe Bennett.
Nesse quarto volume, Moore continua dando um show de metalinguagem. A última história, New Jack City, é realmente o melhor momento do volume, uma jóia entre jóias. Nessa HQ, Moore faz uma homenagem a Jack Kirby, considerado o rei dos quadrinhos de super-heróis. Supremo vê aparecer uma névoa num vale remoto do Himalaia e vai investigar. Lá dentro, ele encontra versões dos personagens criados por Kirby: Capitão Amnérica, Novos Deuses, Thor. Rick Veidt consegue imitar com perfeição o traço do rei e o texto é uma verdadeira aula de como analisar um história em quadrinho. Moore comenta a arquitetura desenhada por Kirby (¨Os prédios possuem estilos muito distintos que não deveriam co-exisitir! Alguns parece com modernos arranha-céus americanos, enquanto outros parecem ter sido baseados em formas mitológicas¨) e o incrível processo de criação da imaginação mais poderosa dos comics (¨Ele cria um universo inteiro antes do café da manhã como se não fosse nada; ¨Todo esse cosmo poderia caber dentro da cabeça de um homem¨). Moore abraça a idéia platonista de mundo das idéias e relaciona isso com a obra de Kirby.
O curioso de tudo é que o volume fecha com um texto do Leandro Luigi Del Manto no qual ele diz que inicialmente não gostava do traço do Kirby e que só muito mais tarde percebeu o quanto ele era bom e o quanto havia influenciado gerações de desenhistas. Não é a primeira pessoa que diz isso e comigo mesmo aconteceu isso. Eu achava o desenho de Kirby estranho, duro, distorcido. Depois percebi que o que parecia estranhesa era uma revolução em termos de composição. O que parecia duro, na verdade havia acrescentado uma nova dinâmica aos quadrinhos e o que parecia distorcido na verdade era expressividade.

Música do dia

Uma das minhas músicas prediletas. Uma lição que deveríamos seguir no ano que se inicia.

Como Diria Dylan

Zé Geraldo

Hei você que tem de 8 a 80 anos
Não fique aí perdido como ave sem destino
Pouco importa a ousadia dos seus planos
Eles podem vir da vivência de um ancião
ou da inocência de um menino

O importante é você crer
na juventude que existe dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

Nunca deixe se levar por falsos líderes
Todos eles se intitulam porta vozes da razão
Pouco importa o seu tráfico de influências
Pois os compromissos assumidos quase sempre ganham subdimensão
O importante é você ver o grande líder que existe dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

Não se deixe intimidar pela violência
O poder da sua mente é toda sua fortaleza
Pouco importa esse aparato bélico universal
Toda força bruta representa nada mais do que um sintoma de fraqueza
O importante é você crer nessa força incrível que existe dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

Abaixo um vídeo, com Zé Geraldo e Zeca Baleiro cantando a música.



sexta-feira, dezembro 26, 2008

Thundercats... Ohh!



Na época em que surgiu, Thundercats foi uma revolução. Além da animação bacana e dos personagens carismáticos, os roteiros eram bastante adultos para uma época pré-Simpsons. Agora, com o sucesso dos Transformers, fala-se de uma versão cinematográfica, que ainda não saiu do papel. Enquanto isso, um fã criou este trailer falso, unindo partes de filmes como róia, Pequenos Espiões, O Senhor dos Anéis, X-Men 2, Mad Max 3, Garfield, Planeta dos Macacos e A Batalha de Riddick. Até que engana, não é?

quarta-feira, dezembro 24, 2008

O resultado do Fest Vídeo Tucuju

A Ana Vidigal da ABD e C me mandou o resultado oficial doI FEST VÌDEO TUCUJU, que publico abaixo (com fotos dos vencedores tiradas do site do Chico Terra).

Os vencedores na Categoria câmera Amadora de 12 a 16 anos foram:
1º lugar - macapá em 3 minutos de Reginaldo Costa e Estevam Eliel
2º lugar- macapá X aquecimento Global de Adriano Coelho Almeida
3º lugar - Desafio Contemporâneo de Luis Ótavio de Jesus Feilx

Categoria câmera amadora de 17 a 21 anos :
1º lugar - Dilema Tucuju de Lucas Penafort
2ª lugar- Memórias de macapá de Nídia jackeline Pereira
3º lugar - uma visita aos principais pontos turisticos da cidade de Macapá de janaina da Silva Luz

Categoria Cãmera celular de 12 a 16 anos:
1º lugar - Macapá das Ressacas de flávia Barbosa
2º lugar - Macapá, terra boa de viver de Jaster Sullivan e Jamerson Sullivan
3º LUGAR - Macapá, minha cidade de Tainá Alves.

Todos os vencedores em 1º lugar ganharam um Notebook, 2º lugar uma câmera fotógrafica digital e 3º lugar um Celular com Câmera.

Dica de blog


Um blog amapaense que eu não conhecia é o Antes nada do que isso. Muito bom. Vale a pena conferir. Nesse blog pego a informação de que a Bettie Page morreu no dia 11 a pin-up. Ela foi a pin-up mais famosa de todos os tempos, tornando-se um verdadeiro ícone da década de 1950. Confira o blog clicando aqui.

E-book dos Exploradores


As tiras dos Exploradores do Desconhecido andam paradas, mas as aventuras continuam na literatura. O primeiro e-book da série Chama-se Amanhã é ontem. Texto meu, capa de Jean Okada e ilustrações internas de JJ Marreiro. Para baixar, clique aqui.

Feliz natal!


Tenho recebido diversos cartões de natal. É muito bom saber que temos muitos e queridos amigos. Um dos cartões mais criativos foi esse, que recebi do quadrinista e editor Franco de Rosa (responsável pela revista Discutindo Literatura). Ficou tão bom que resolvi compartilhar com vocês.

terça-feira, dezembro 23, 2008

Os melhores quadrinhos de 2008


A revista O Grito fez uma relação das 30 melhores histórias em quadrinhos de 2008. Para isso, eles convidaram profissionais ligados aos quadrinhos (quadrinistas, jornalistas, blogueiros) para que fizessem suas listas. Eu fui um dos convidados. Veja a lista completa aqui e clique aqui para ver em que revistas cada um votou.

Promoção

Para agitar um pouco o blog neste período de férias, vou fazer uma das nossas tradicionais promoções. Quem comentar mais até o dia 30 de janeiro, recebe um livro em casa. As opções são:

1 - Anjo da morte - livreto que mistura ficção-científica com fantasia.

2 - Agulha hipodérmica - o poder e os efeitos dos meios de comunicação de massa - livro sobre uma das mais importantes teorias da comunicação. Ideal para estudante de jornalismo, publicidade e relações públicas.

3 - Critérios de escolha de notícias no jornalismo amapaense - esse livro é resultado de uma pesquisa coordenada por mim com foco na teoria do jornalismo.

4 - 20 anos no hiperespaço - coletânea de ficção-científica na qual participo com o conto V.I.R.T.U.A.L.

Ao comentarem, não esqueçam de colocar o nome, ok?

Fest vídeo Tucuju

Ontem foi a exibição e premiação dos vídeos do I Fest Vídeo Tucuju, organizado pela Confraria Tucuju em conjunto com a ABD e C. Tive a honra de participar da comissão julgadora desse primeiro festival.
O tema era ¨Macapá 250 anos, um novo olhar¨, mas muitos fizeram o óbvio: um clipe com pontos turísticos da cidade com música regional de fundo. Mas tivemos alguns vídeos muito criativos e interessantes. Uma menina de 12 anos, por exemplo, fez um belo vídeo sobre as ressacas, usando maquetes, bonequinhos de plástico... Ou seja, tem uma garotada boa aí, espalhada pela cidade. O que faltava era incentivo para eles revelarem seu talento.
Além dos ótimos vídeos, a noite também teve a apresentação inspirada da banda Os Corleones, tocando rock dos anos 1960.
Fotos de Chico Terra. Para ver mais fotos do evento, clique aqui.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Livro sobre roteiro para quadrinhos já está em pré-venda


Durante anos circulou pela internet uma versão preliminar do meu livro sobre como escrever roteiros de quadrinhos. Nesse período, recebi e-mails de pessoas dos mais diversos locais do Brasil e até de outros países (como é o caso do Don Lay) destacando a importância que esse livro virtual teve para eles. Como era uma das poucas bibliografias sobre o assunto, posso dizer que toda uma geração de roteiristas se formou lendo esse e-book. Muitos pediam para o livro ser publicado de forma impressa. Isso finalmente aconteceu. Já está em pré-venda o livro Roteiro para histórias em quadrinhos, no site da editora Popmídia. Para comprar, clique aqui.

Cidade sem lei

Não se espantem se dia desses Macapá se transformar numa daquelas cidades de faroeste ou Chicago nos anos 1930. Do jeito que está, não falta muito. Senão, vejamos:

- O blog da Alcinéa Cavalcante informa que um bar da orla do Araxá resolveu simplesmente fechar o passeio público e cobrar para as pessoas entrarem.
- Sábado realizou-se a abertura de uma micareta no bairro do Congós, a Congozada (só por esse nome, já devia ser proibido). As autoridades permitiram a realização da micareta, em plena área residencial. O resultado foi uma quantidade imensa de lixo acumulado nas ruas, brinquedos da praça quebrados, tudo sob aplausos das ¨otoridades¨.
- O jornal Diário do Amapá informa que crianças de 11, 12 anos, estão se prostituindo na praça Beira-rio. Se já não bastassem os vendedores de bebidas que tomaram as calaçadas e até a pista, se já não bastasse os carros com som em volume máximo, agora temos, também, de brinde, pedofilia. A preça Beira-rio, que já foi um ótimo local para levar crianças, agora virou uma currutela, onde bêbados se misturam com um som insoportavelmente alto e pedófilos... Como diz meu sogro, Deus nos defenda.
Já que o atual prefeito se conformou em deixar a cidade à própria sorte, vamos ver o que vai fazer o novo prefeito a respeito desses assuntos.

domingo, dezembro 21, 2008

A outra Oxford

por Finisia Fideli
A Trilogia Fronteiras do Universo, composta por A Bússola de Ouro, A Faca Sutil e A Luneta Âmbar, acumulou prêmios internacionais desde sua publicação no Reino Unido, a partir de 1995. Conhecido do público infanto-juvenil de língua inglesa, o autor foi publicado no Brasil entre 1998 e 2001, pela Editora Objetiva, que não explicitou qual era o público-alvo da trilogia, numa demonstração clara de que a editora não sabia muito bem o que fazer com os livros. Lançados sem alarde, praticamente desconhecidos dos leitores e ignorados pela crítica brasileira especializada, os livros jamais teriam alcançado aqui a fama que merecem, não fosse pelo cinema. Leia mais

Golpe de mestre


Assisti Golpe de Mestre (filme de George Roy Hill, com Paul Newman e Robert Redford), da coleção Cinemateca Veja. Já disse isso uma vez e digo de novo: a coleção é tão boa quanto a revista é ruim. Felizmente, não é necessário comprar a revista de Izabela Boscov e Diogo Mainardi para ter essa coleção, já que ela é vendida separadamente.

No filme, Redford é um larápio que, junto com um amigo, dá um golpe em um homem que estava levando dinheiro de um mafioso. O amigo de Redford acaba sendo morte e ele é perseguido. Como forma de se vingar, ele busca Newman para que os dois montem um golpe contra mafioso.
O que sempre me chamou atenção nos filmes é o roteiro e o deste é perfeito. Tudo se encaixa e o golpe, que parece simples no início, mas é muito mais complexo. Até aquilo que parece estar contra os vigaristas, na verdade faz parte do plano. Lembra Xeque mate e 11 homens e um destino. Além do ótimo roteiro, vale a pena conferir a atuação de Robert Redford. Ele consegue dar uma profundidade ao personagem que provavelmente não existia no roteiro original (não é à toa que Ken Parker foi baseado nele).

Vale cada centavo.

sábado, dezembro 20, 2008

Só no Amapá...

O bairro do Congós agora vai ter uma micareta, chamada de Congozada. Macapá deve ser o único lugar do mundo em que o governo autoriza a realização de uma micareta em área residencial. Quando é que Macapá vai deixar de ser a cidade sem lei? E aí, Ministério Público?

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Vampiros e bons textos


A moda agora parece ser vampiro. O filme de sucesso chama-se Crepúsculo e os livros de André Vianco estão entre os mais vendidos pelo Submarino. Como resultado, tem muita gente dizendo que o Vianco fez sucesso apenas porque escreveu livros sobre vampiros. Isso não é verdade. Até há pouco tempo, terror era um gênero proscrito nas editoras. Tinha editora que colocava no site: ¨Não analisamos livros de terror e ficção-científica¨. O que aconteceu foi que o Vianco conseguiu romper essa barreira e só fez sucesso porque escreve muito bem. Da mesma forma que Júlio Verne conseguiu romper a barreira das editoras para livros de aventuras geográficas e só fez sucesso porque seus livros eram muito bons. Não importa o gênero ou sobre o que você escreve: o importante é que o texto seja boa qualidade. Se for bom, o leitor embarca na viagem...

Dezembro vai ser o mês dos festivais de vídeo em Macapá. Além do FIM (Festival da Imagem em Movimento), teremos o 1º fest Vídeo Tucuju. O festival é uma realização da Confraria Tucuju com a parceria da Prefeitura de Macapá, SESC/ SENAC E ABDeC Amapá e acontecerá na segunda-feira, 22/12/08, às 19:00hrs no Centro Cultural Azevedo Picanço. Além da exibição dos vídeos, vai ter também show com a banda " Corleones".

quinta-feira, dezembro 18, 2008


O amigo José Aguiar fez, para a revista A revista Megazine, encarte do jornal O GLOBO, uma restropectiva em quadrinhos dos fatos mais importantes de 2008, sob a ótica da adolescente Malu, protagonista de seu álbum Folheteen. Para quem não comprou o jornal, dá pra conferir o resultado no blog do Zé.

Fim dos tempos


Ontem assisti Fim dos tempos, o mais recente filme de M. Night Shyamalan. É muito bom ver o diretor de Sinais de volta à velha forma, depois do fiasco que foi A dama da água. Parece que o Shyamalan resolveu fazer filmes temáticos, discutindo temas extremamente relevantes para o mundo atual. A vila falou sobre a violência urbana. Fim dos tempos fala sobre a poluição e destruição da natureza. No filme, as plantas resolvem reagir liberando uma toxina que induz as pessoas a se matarem. Assim, acompanhamos um casal e uma criança tentando sobreviver em meio a esse apocalipse, enquanto todas as pessoas à volta deles começam a se matar. O diretor sabe construir personagens carismáticos e, principalmente, criar suspense. A cena inicial, com os operário se jogando do prédio é realmente chocante, mas o filme mais insinua do que mostra e aí está o seu grande diferencial. O que nos dá medo é aquilo que não estamos vendo (aqui é inevitável uma comparação com O nevoeiro, que mostra mais do que deveria). O maior problema de Shyamalan é o sucesso estrondoso de seu primeiro filme: Sexto Sentido. A partir dele, todo mundo espera um final surpresa ou uma virada nos filmes do Shyamalan, o que não acontece em Fim dos tempos, o que deve decepcionar alguns fãs (mas não eu).

Dom Quixote em quadrinhos


Acontece na HQ Mix Livraria (Pça Roosevelt, nº 142Centro - São Paulo - SPTel (11) 3258 7740), dia 20.12, a partir das 17 horas, o lançamento Lançamento do álbum DOM QUIXOTE, de Miguel Cervantes, por Bira Dantas. Eu não vou poder ir, mas fica a dica para quem mora em são Paulo. Ah, o blog do álbum é: http://domquixotehq.blogspot.com/

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Crise?

Recebi esse texto por e-mail, creditado a Neto, diretor de criação e sócio da Bullet, sobre a crise mundial. Não sei se é dele (se for, está creditado), mas achei que o texto valia a publicação.
"Vou fazer um slideshow para você. Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes. Quem sabe até já se acostumou com elas. Começa com aquelas crianças famintas da África. Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele. Aquelas com moscas nos olhos. Os slides se sucedem. Êxodos de populações inteiras. Gente faminta. Gente pobre. Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens. No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto. Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados. São imagens de miséria que comovem. São imagens que criam plataformas de governo. Criam ONGs. Criam entidades. Criam movimentos sociais.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza. Ano após ano, discutiu-se o que fazer. Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo. Resolver, capicce? Extinguir. Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta. Não sei como calcularam este número. Mas digamos que esteja subestimado. Digamos que seja o dobro. Ou o triplo. Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse. Não houve documentário, ONG, lobby ou pressão que resolvesse. Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia. Bancos e investidores.
Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar. Se quiser, repasse, se não, o que importa? O nosso almoço tá garantido mesmo...

terça-feira, dezembro 16, 2008

Subliminares na Mundo Estranho


A revista Mundo Estranho deste mês traz uma matéria de capa sobre mensagens subliminares. A consultoria é do meu amigo Flávio Calazans. A matéria, no padrão da ME, tem muitos boxes e linguagem fácil.

Falando em miniaturas, olha que legal esse boneco do Crônicas de Narnia. Já vi nas lojas e fiquei impressionado com os detalhes.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Pistas de qualidade

Um dos conceitos mais interessantes do marketing é o de pistas de qualidade, ou qualidade aparente. Esse conceito surgiu da idéia de que o consumidor comum não tem como avaliar a qualidade técnica de um produto. Só um especialista em nutrição, por exemplo, pode avaliar com segurança a qualidade de uma refeição. Só um especialista em eletrônica pode avaliar a qualidade técnica de um eletrodoméstico.
Mas o consumidor, quando compra, precisa ter alguma indicação, algo que o ajude a escolher entre este ou aquele produto. Percebendo isso, os marketeiros começaram a colocar nos produtos demonstrações visíveis da qualidade técnica. Isso foi chamado de qualidade aparente, ou pista de qualidade.
Essa situação foi muito bem exemplificada mais de mil anos atrás, quando surgiu a suspeita de que a mulher de Júlio César o estaria traindo e ele abriu uma investigação. Um amigo abordou-o: "Mas, César, você sabe que sua mulher é fiel". "À mulher de César não basta ser fiel, tem que parecer fiel", respondeu ele. É possível que a história seja inventada, ainda mais levando em consideração os costumes sexuais liberais do romanos, mas serve para demonstrar o conceito: um produto não só tem que ter qualidade, ele precisa aparentar qualidade.
Por exemplo, alguém já viu toalhas de hotel de cor escura? Elas são geralmente brancas, pois numa toalha branca a limpeza é visível. Se houver um mínimo de sujeira, o consumidor imediatamente identificará.
Uma das mais famosas lojas dos EUA, a Stew, é especializada em carnes e laticínios. O dono da loja faz questão que nos banheiros haja sempre flores frescas e que a limpeza seja impecável. A explicação dele é que, como o consumidor não vê a produção de seus produtos, o banheiro é um dos maiores indícios da higiene com que esses produtos são fabricados.
Entrar num restaurante e encontrar um banheiro sujo, imundo, é uma pista de falta de qualidade, e são poucos os consumidores conscientes que continuarão no estabelecimento, pois a falta de limpeza no banheiro provavelmente reflete a falta de limpeza na cozinha.
Muitas empresas que trabalham com comida procuram tornar transparentes a produção de seus produtos. É o caso do McDonalds, cuja cozinha é aberta e fica visível para o cliente.
No supermercado, a transparência da embalagem, no caso do feijão, permite ver a qualidade do produto. É por isso, também, que a água mineral é vendida em embalagens transparentes ou azuladas (o azul lembra limpeza).
Numa loja, uma vitrine bem trabalhada, com produtos novos e atraentes, é pista de qualidade que levará o consumidor a comprar. Ao contrário, uma vitrine com produtos velhos, amassados, fora de moda ou empoeirados é pista de falta de qualidade.
Costumo comprar pão em uma padaria longe de casa, mas que tem toda uma preocupação com a qualidade aparente. O caixa fica longe dos pães, os vendedores não pegam em dinheiro e são orientados para usarem touca e luvas. Antigamente usavam um avental branco. Foi introduzido um novo uniforme, de cor escura, mas a cor escura não passava a idéia de limpeza e eles voltaram a usar o avental.
Infelizmente, em Macapá são poucos os empresários como esse dono de panificadora, que se preocupam com as pistas de qualidade de seus produtos.
O exemplo mais absurdo que vi foi com um vendedor de batatas fritas na área próxima da Fortaleza de São José, em Macapá, onde moro. Além de não usar luvas, toucas ou avental, ele não tinha uma espátula ou colher para recolher as batatas e colocar no copinho e fazia isso com a mão... a mesma mão que pegava o dinheiro dos fregueses. O uso de um colher era medida simples e básica de higiene e, portanto, pista de qualidade (pelo menos uma, no meio de tantos absurdos).
Vendo aquilo, eu desisti de comprar a batata. Argumentei que era falta de higiene e que tal atitude facilitava a propagação de doenças. Isso só fez com que o vendedor ficasse furioso comigo. Depois disso, sempre que vamos na Beira Rio ou no Parque do Forte, fazemos uma refeição antes de sair de casa.

Sábado demos uma passada pelo comércio e comprei mais uma miniatura para minha coleção. Achei vários chaveiros de Star Wars na 246 e comprei esse soldado imperial. O curioso é que, enquanto eu estava olhando, um senhor que estava comprando presentes para o filho, pediu para ver também. ¨Ah, são do Senhor dos Anéis. Eu não vou levar porque é místico!¨, disse o homem. ¨Sim, com certeza¨, concordou o vendedor... Mais uma para minhas aulas de marketing. Não custa repetir: vendedor tem que conhecer o produto que está vendendo. Star Wars não é Senhor dos Anéis e Senhor dos Anéis não é místico. Em todo caso, como o filho do senhor tinha apenas 3 anos, os chaveiros não eram mesmo aconselháveis, pois possuem peças que podem ser engolidas (informação que o vendedor poderia ter repassado ao comprador)...

O fim dos quadrinhos Pixel?


A imprensa especializada está divulgando que a saída do editor Cassius Medauar poderia representar um freio nos lançamentos de quadrinhos da Pixel. Estariam na mira de cancelamentos as revistas mix Pixel Magazine e Fábulas. Uma pena, pois essas duas, estavam entre o que de melhor se publicou neste ano. Vamos aguardar e esperar que as más notícias não se concretizem.

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Esquadrão Atari




Dia desses estava conversando com o Roberto Guedes, autor do livro A era de bronze dos quadrinhos e do blog Guedes Manifesto, sobre algumas series esquecidas da era de bronze e houve duas ótimas lembranças: Mestre do Kung Fu e Esquadrão Atari. Essa última, escrita pelo norte-americano Gerry Conway e desenhada pelo argentino Garcia Lopez, foi uma das melhores HQs da época. Só entrou no ostracismo por causa de uma briga de direitos autorais entre a DC Comics e a Atari. Então, para quem não conhece, a solução é baixar da net. Todos os 20 volumes da série podem ser baixados aqui.

Anedota jurídica.

Estava conversando com um colegando, professor do curso de direito, e ele me contando uma anedota jurídica: descobriu-se que um juiz estava vendendo sentenças. O juiz foi afastado e o caso mais recente julgado por um juiz honesto. O juiz honesto deu a mesma sentença do corrupto. Conclusão: o juiz anterior era tão corrupto que cobrava até para dar a sentença correta...

Tem capítulo novo do Galeão no ar. Terminada a tempestade, os sobreviventes começam a aparecer no convés e começam a surgir os primeiros conflitos. Confira.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Onde entra a vírgula?

Leiam a frase abaixo e tentem descobrir onde entra a vírgula para que a frase faça sentido:

Um fazendeiro tem um bezerro e a mãe do fazendeiro é também o pai do bezerro.

FIM recebe mais de 50 inscrições


magens e sons vieram dos mais variados recantos do Brasil e do mundo e chegaram a Macapá para serem exibidos no Festival de Imagem-Movimento. Esse ano o público que participar do festival terá a oportunidade de assistir a mais de 50 trabalhos que contemplam os mais diversos gêneros, formatos e linguagens.
São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Portugal, foram alguns dos lugares que fizeram os seus correios trabalharem para que todo esse material pudesse aportar aqui, na terra do FIM.
De documentários sobre ribeirinhos até animação 2D sobre as Olimpíadas de Pequim a 5ª edição do FIM está repleta de surpresas que marcam o amadurecimento do evento. Outro fator que mostra como o trabalho dos realizadores do festival tem progressivamente evoluído é o reconhecimento que o FIM tem recebido de várias instituições importantes da cena audiovisual brasileira como o Fórum dos Festivais, o Kinoforum e o Guia Brasileiro de Cinema e Vídeo.

Serviço:
FIM – Festival de Imagem Movimento
Data: 15 e 16 de dezembro de 2008-12-11
Hora: 18:00 – 22:00
Local: SESC ARAXÁ

Contatos:
Alexandre Brito – 8118 35 10
Augusto Tuto – 8115 33 08
Cassandra de Oliveira – 9974 31 80
Fui entrevistado pelo blog Repiquete no meio do mundo, da Alcilene Cavalcante, o que é uma honra, pois só as principais personalidades do Amapá participam dessa série de entrevistas. Para ler, clique aqui.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Como simplificar um texto científico

Essa eu recebi do amigo Calazans:

Beto Holsel

Muitos textos científicos são escritos numa linguagem de difícil compreensão para o grande público. Torna-se necessário traduzi-los para torná-los mais acessíveis ou, pelo menos, para uma difusão mais extensiva da profundidade do pensamento científico. Isto pode ser feito com aplicação de um método engenhoso que consiste na reunião de conceitos fragmentados em outros mais abrangentes que, numa sucessão progressiva de sínteses - ou estágios - reduzem a complexidade do texto original até o nível de compreensão desejado.
Se estas colocações parecem ainda obscuras ou abstratas - o que mostra que são científicas - um exemplo muito simples ilustrará o método e facultará ao leitor esperto praticá-lo em outros textos. O exemplo que daremos a seguir é o de um texto altamente informativo em que são discerníveis elementos de Química, Física, Botânica, Geometria e outras disciplinas.
Como se verificará, entretanto, essa massa de compreensão pode ficar mais próxima. Ao final do quinto estágio, surgirá, clara e límpida, a síntese mais refinada daquele texto, antes compreensível, que brilhará singela e cristalina, evidenciando a eficácia do nosso método.

TEXTO ORIGINAL
O dissacarídeo de fórmula C12H22O11, obtido através da fervura e da evaporação de H2O do líquido resultante da prensagem do caule da gramínea Saccharus officinarum, Linneu, isento de qualquer outro tipo de processamento suplementar que elimine suas impurezas, quando apresentado sob a forma geométrica de sólidos de reduzidas dimensões e arestas retilíneas, configurando pirâmides truncadas de base oblonga e pequena altura, uma vez
submetido a um toque no órgão do paladar de quem se disponha a um teste organoléptico, impressiona favoravelmente as papilas gustativas, sugerindo a impressão sensorial equivalente provocada pelo mesmo dissacarídeo em estado bruto que ocorre no líquido nutritivo de alta viscosidade, produzindo nos órgãos especiais existentes na Apis mellifica, Linneu.
No entanto, é possível comprovar experimentalmente que esse dissacarídeo, no estado físico-químico descrito e apresentado sob aquela forma geométrica, apresenta considerável resistência a modificar apreciavelmente suas dimensões quando submetido a tensões mecânicas de compressão ao longo do seu eixo em conseqüência da pequena deformidade que lhe é peculiar.

PRIMEIRO ESTÁGIO
A sacarose extraída da cana de açúcar, que ainda não tenha passado pelo processo de purificação e refino, apresentando-se sob a forma de pequenos sólidos tronco-piramidais de base retangular, impressiona agradavelmente ao paladar, lembrando a sensação provocada pela mesma sacarose produzida pelas abelhas em um peculiar líquido espesso e nutritivo.
Entretanto, não altera suas dimensões lineares ou suas proporções quando submetida a uma tensão axial em conseqüência da aplicação de compressões equivalentes e opostas.

SEGUNDO ESTÁGIO
O açúcar, quando ainda não submetido à refinação e, apresentando-se em blocos sólidos de pequenas dimensões e forma tronco-piramidal, tem o sabor deleitável da secreção alimentar das abelhas, todavia não muda suas proporções quando sujeito à compressão.

TERCEIRO ESTÁGIO
Açúcar não refinado, sob a forma de pequenos blocos, tem o sabor agradável do mel. Porém não muda de forma quando pressionado.

QUARTO ESTÁGIO
Açúcar mascavo em tijolinhos tem o sabor adocicado, mas não é macio ou flexível.

QUINTO ESTÁGIO
Rapadura é doce, mas não é mole.

Todo mundo quer informação



Minha mulher me conta que, quando ela e a família moravam no interior, havia um objeto que jamais faltava na casa: o radinho de pilha. Era por ele que chegavam as informações sobre o que estava acontecendo noEstado, no país e no mundo. Essa história demonstra uma característica essencial do ser humano: a necessidade de informação.
Não importa como (internet, rádio, jornal, televisão), estamos sempre procurando novidades, querendo sair do marasmo do “nada de novo”. Essa necessidade é claramente visível nas crianças. O bebê que leva um objeto à boca está, a seu jeito, procurando informações sobre aquele objeto. É duro? Mole? Gostoso? Amargo? Doce?
Talvez eu seja um exagerado, mas acredito, sinceramente, que todos os grandes projetos da humanidade foram motivados pela busca da novidade. Por que Colombo descobriu a América? Porque a curiosidade o impelia. E os portugueses? Por que navegavam? Porque eles buscavam o novo, o diferente, o inusitado. A necessidade de informação era tão grande que eles desafiavam todo e qualquer perigo, real ou imaginário e perseveraram em suas viagens ao redor da costa Africana. Como dizia o poeta, “Navegar é preciso, viver não é preciso”.
Sim, eu sei. Muitos discordarão, argumentando que as grandes navegações tinham como objetivo a busca de riquezas. Verdade. Mas será que riqueza era a única coisa que impelia aventureiros como Cristóvão Colombo? Além disso, para que serve a riqueza? Para comprar novida-
des. Um vestido novo é uma novidade e, portanto, informação. Nunca ouvi falar de alguém são que pretendesse ficar rico para viverenclausurado em um quarto vazio.
Quero dar um exemplo recente: a chegada do homem à Lua. Os EUA gastaram milhões de dólares para quê? Para matar a curiosidade humana. O que há lá em cima? Como será andar na lua?
Claro, havia a guerra fria, que dava um grande incentivo ao programa espacial norte-americano. Mas será que foi a guerra fria que fez com que milhões de pessoas acompanhassem os passos de Neil Armstrong? Não. Foi a curiosidade. Todos queriam saber como seria a chegada da nave à Lua, o que aconteceria com os destemidos astronautas...
Essa é a razão pela qual a profissão de jornalista é tão importante: a matéria-prima do jornalismo é a informação. É o jornalista que leva as novidades às pessoas, seja através da internet, da televisão, do jornal ou de um radinho de pilha em uma casinha na beira do rio...

Revista do Crânio é lançada


Foi lançado o primeiro número da revista do Crânio, um dos heróis brasileiros da nova geração. Confira no site do personagem mais informações.

Promoção Clássicos da Comix da revista Mundo dos Super-Heróis

Por Ricardo Malta Barbeira (10/12/08)A revista Mundo dos Super-Heróis, em parceria com a Comix, está lançando a promoção Clássicos da Comix.Para participar, basta responder em até 20 palavras a seguinte pergunta: "Qual o vilão mais poderoso do universo e por quê?". Leia mais

segunda-feira, dezembro 08, 2008

Deus é vingativo?

A revista Superinteresante publicou uma matéria interessante sobre as pessoas que escreveram a Bíblia (existe a suspeita de que entre os escritores haveria até uma mulher). Uma curiosidade é que, quanto mais difícil se tornava a vida dos judeus, mais a imagem de Deus ia se distanciando de uma divindade bondosa para se tornar vingativa e justiceira. Era como se os judeus se vingassem de seus inimigos através da religião. É uma pena, mas isso acontece até hoje. Quantas e quantas pessoas usam a figura de um Deus Justiceiro para exteriorizar problemas pessoais, suas frustrações? Stephen King adorava falar desse assunto, seja a mãe repressora de Carrie ou a fanática religiosa de O Nevoeiro. Em um de seus livros, ele diz que os fanáticos esquecem que Deus age pelas mãos dos homens.

Falando em religião, estava assistindo ontem o episódio A Falta de um amigo, da terceira tempora da série Futurama. Nesse capítulo, o robô Bender fica flutuando no espaço e uma civilização de pequenos seres acaba se agarrando ao seu casco e pensam que ele é Deus. Ao tentar ajudá-los, Bender só piora a situação, causando inclusive uma guerra religiosa. A mensagem parece clara: um deus não pode interferir demais na vida dos seres, para que eles não se tornem dependentes. Por outro lado, ele deve inteferir de forma sutil, para que ainda exista a esperança. Com diz o Stephen King, os milagres se realizam pelas mãos humanas... principalmente quando existe amor e dedicação ao próximo. Ou seja: não existem milagres em guerras religiosas. Só morte e desgraça.

Morre uma lenda da FC


Morreu Forrest J. Ackerman, um dos grandes nomes da ficção-científica norte-americana, responsável, entre outras coisas pelo lançamento de Ray Bradbury e pela publicação da série Perry Rhodan nos EUA. Foi também o criador da Vampirella. Roberto Guedes, em seu blog, fez uma interessante retrospectiva da carreira do homem.

domingo, dezembro 07, 2008

Lobato e o respeito


Estava relendo meu artigo sobre Monteiro Lobato e os modernistas na revista Discutindo Literatura e pensava numa coisa: Lobato era brincalhão, irônico, não perdia uma piada. Mas também tinha muito respeito, inclusive por seus supostos inimigos. Exemplo disso aconteceu quando ele escreveu um texto quase cômico sobre a semana de arte moderna, dizendo que Osvald de Andrade tinha sido o mentor da semana. Mário de Andrade se mordeu por não ter sido creditado e escreveu um texto matando Lobato. O autor do Jeca não fez caso. Em carta ao jornalista Flávio Campos, Lobato diz que Mário, por seu talento, tem direito a tudo, ¨até de meter o pau em você e em mim. Eu tenho levado pancadinhas dele. Certa feita matou-me e enterrou-me. Em vez de revidar, conformei-me, e sem mudar minha opinião sobre ele. Mário é grande. Tem o direito de nos matar à moda dele¨.

Quem dera no meio intelectual todos tivessem esse respeito pelos outros...

Dica de blog


A dica de hoje vem lá de portugal. É o blog do meu amigo, roteirista de quadrinhos Don Lay, editor do fanzine Vestígio. Ainda está no começo, mas vale uma conferida para quem se interessa pelos quadrinhos alternativos portugueses.

sábado, dezembro 06, 2008

Desendando história especial abolição

Acabei de comprar a revista Desvendando a História especial Abolição. Ficou muito bonita. A diagramadora, Daniela Câmara, caprichou. Eu já tinha idéia de como ia ficar porque ela me mandou as páginas para fazer o trabalho de edição, incluindo chamadas de capa, legendas, mas ver o material pronto, impresso, é outra coisa. Também comprei hoje a revista Discutindo Literatura 20 (capa Clarice Linspector - Drummond) que traz um texto meu cujo título diz tudo: ¨Lobato contra os modernistas: a guerra que não existiu¨. Boa surpresa. Não sabia que esse texto ia sair agora. Vou ver se consigo uma capa e posto aqui.
A decisão do governo do estado de concentrar o pagamento de todos os servidores no Banco do Brasil está causando revolta. O BB em Macapá já não tinha estrutura para atender todos os seus correntistas e tinha filas enormes até em caixas eletrônicos. Agora, com mais essa quantidade enorme de pessoas migrando para ele, a situação só está piorando... quando falo para os meus amigos que não moram em Macapá que tem fila em caixa eletrônico do BB ninguém acredita, mas é a pura verdade.

Tem capítulo novo na página do Galeão. Trata-se do primeiro flash back do marinheiro Pedro. Confira.

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Música do dia

Canção Pra Você Viver Mais
Pato Fu


Nunca pensei um dia chegar
E te ouvir dizer:
Não é por mal
Mas vou te fazer chorar
Hoje vou te fazer chorar
Não tenho muito tempo
Tenho medo de ser um só
Tenho medo de ser só um
Alguém pra se lembrar
Faz um tempo eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais
Faz um tempo que eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais
Deixei que tudo desaparecesse
E perto do fim
Não pude mais encontrar
O amor ainda estava lá
O amor ainda estava lá
Faz um tempo eu quis
Fazer uma canção
Pra você viver mais

Os melhores do ano


Estou escrevendo o meu texto de final de ano para o Digestivo Cultural. Estou bem apertado aqui, com um monte de coisas para fazer, mas não podia deixar de participar, pois já é uma tradição. Desde o primeiro especial, em 2005, eu participo. A idéia é falar do que aconteceu mais importante na cultura durante o ano. Então quero que vocês me ajudem. Deixei aí na caixa de comentários o que vocês acharam que aconteceu de mais importante neste ano, incluindo filmes, música, literatura, quadrinhos...

Quadrinhos mostram primeira dama da França como maquiavélica

Redação CORREIO Foto: Franck Fife
A primeira edição de uma história em quadrinhos sobre o primeiro ano do governo do presidente francês Nicolas Sarkozy já se esgotou nas bancas do país - o detalhe é que a obra mostra a suposta influência que a primeira-dama, a cantora e ex-top-model franco-italiana Carla Bruni, tem em assuntos de Estado.

Foram 80 mil exemplares vendidos rapidamente de 'Carla & Carlito ou la vie de château' ('Carla e Carlito ou a vida de palácio', em tradução livre), obra de um jornalista francês. A segunda edição será lançada em breve, com tiragem de 15 mil exemplares, de acordo com a Editora 12 bis.

A obra é a terceira HQ do jornalista Philippe Cohen sobre Sarkozy. Com o primeiro, ele inaugurou o que os franceses chamam de 'HQ investigativa', pois narra a biografia do presidente. As obras misturam fatos reais e imaginários. Leia mais

Os trapalhões do futuro

Há 25 anos, Os Trapalhões fizeram um quadro no qual mostravam como estaria o mundo em 2008. No esquete, Mussum e Zacarias tinham morrido e Didi e Dedé estavam brigados. Confiram:

MP e AMPAP: Solidariedade às vítimas de SC

A Procuradoria-Geral de Justiça, em parceria com a Associação do Ministério Público (AMPAP), recebe, a partir de hoje (01), doações de roupas, alimentos não-perecíveis, artigos de higiene pessoal, colchões e cobertores para auxílio aos moradores desabrigados do Estado de Santa Catarina atingidos pelas fortes enchentes da última semana.
Membros, Servidores e a população amapaense podem fazer qualquer doação nos prédios da Procuradoria-Geral de Justiça (Av. FAB), Promotoria de Justiça de Macapá (Av. Padre Júlio) e na Promotoria de Justiça de Santana. Todas as doações serão enviadas àquele Estado.

Fonte: press release

quarta-feira, dezembro 03, 2008


Nem todo mundo está sabendo, mas Macapá tem uma nova rádio, operando em caráter experimental. É a 89,1. Por enquanto, está tocando só MPB e MPA. Vamos esperar que continue assim.

Tem capítulo novo da série Galeão. Confira.
A Lilian deixou um recado lembrando que na Procuradoria da República e na Promotoria de Justiça estão aceitando doações de roupas e alimentos para as vítimas da tragédia de Santa Catarina. Alguns colégios também estão recolhendo doações.

terça-feira, dezembro 02, 2008

Ajuda aos desabrigados de Santa Catarina

Mesmo para quem está longe de Santa Catarina, é possível ajudar com às vitimas da calamidade que se abateu sobre Santa Catarina. A defesa civil abriu contas para depósitos de doações em qualquer valor. As contas são:
Caixa Econômica Federal - Agência 1877, operação 006, conta 80.000-8
Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7
Bradesco S/A - 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1
Itaú S/A - 341, Agência 0289, Conta Corrência 69971-2
O nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ - 04.426.883/0001-57.

O Buscapé abriu um site para as pessoas que queiram fazer doações através de cartão de crédito. O valor será integralmente repassado à Defesa Civil. Para doar, clique aqui.

Revistas nas bancas.

Já estão nas bancas do país algumas revistas da Escala com textos meus. Até agora, só vi a Discutindo Língua Portuguesa nas bancas de Macapá, mas as devem chegar em breve: Nessa edição especial sobre Marx, colaborei com um texto sobre a Escola de Frankfurt e a análise marxista da mídia. Também escrevi um texto sobre o livro Para ler o Pato Donald, que faz uma análise marxista dos quadrinhos Disney.
Nessa revista tem um artigo meu sobre o uso dos quadrinhos na educação. Uma curiosidade: minha irmã comprou essa revista na banca, leu o artigo, gostou, e só depois, quando foi olhar o autor, é que descobriu que era de minha autoria.

No caso desta revista, escrevi todos os textos, em conjunto com o Matheus Moura. Foi também um trabalho quase de editor, incluindo produção de legendas, chamadas de capa....

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Dica de blog

O blog Cultura sem fronteira é endereço certo para quem gosta de cultura, especialmente a cultura do Amapá. Vale a pena acompanhar.

Empresários da panificação participam da Expovalejari

Visando repetir o sucesso que o segmento de panificação vem alcançando nas apresentações em feiras locais, o setor amapaense, por meio do Projeto Panificação Competitiva, estará presente na Expovalejari, no período de 03 a 07 de dezembro, no espaço do shopping comercial, coordenado pelo Sebrae e parceiros no município de Laranjal do Jari.
Desta vez a proposta apresentada pelo segmento será uma unidade de produção montada com a parceria de empresários da panificação do município, Casa do Sorveteiro e Sebrae. O objetivo durante o evento é levar capacitações aos visitantes por meio de mini-cursos diários de confeitaria fina, fabricação de produtos em tempo real, exposição e degustação de produtos com valor agregado e feitos com matéria-prima regional.
A coordenação das atividades apresentadas no estande do setor de panificação estarão sob a responsabilidade técnica do chefe Adriano Valente, da Casa do Sorveteiro, com o apoio do Sebrae. Segundo a gestora do Projeto de Panificação Competitiva do Sebrae, Nelma Pires, a Expovalejari será uma oportunidade ímpar de levar as novas tendências de produtos do setor. “Queremos divulgar as ações que estão sendo desenvolvidas pelos parceiros do setor no Amapá para alavancar o desenvolvimento e a sustentabilidade econômica das empresas de panificação no Estado, e ainda capacitar os atuais e novos profissionais nesse município, visando, desta forma, contribuir com o desenvolvimento socioeconômico do Vale do Jarí.
Fonte: release SEBRAE - AP