quarta-feira, março 23, 2016

Festival Guia Dos Quadrinhos inicia coleção histórica de cards


Em 2016, o Festival Guia dos Quadrinhos traz uma surpresa especial para seus visitantes: o evento dará início a uma coleção com dez cards que trarão capas e informações sobre as mais famosas revistas em quadrinhos lançadas no mercado brasileiro.
As revistas homenageadas neste ano serão: O Tico-Tico nº1 (Editora O Malho, 1905); Suplemente Juvenil nº1 (Editora GCSN, 1934); Gibi: Edição de São João (Editora O Globo, 1942); Raio Vermelho nº1 (Editora Abril, 1950); Pererê nº1 (Editora O Cruzeiro, 1960); Zé Carioca nº479 (Editora Abril, 1961); O Vigilante Rodoviário nº1 (Editora Outubro, 1962); Capitão América nº1 (Editora Abril, 1979); Chiclete com Banana nº1 (Editora Circo, 1985) e Akira nº1 (Editora Globo, 1990).
Todas essas revistas representam momentos históricos para o mercado de quadrinhos no Brasil e deram início a títulos de longa duração, que marcaram época. A coleção de cards trará detalhes e curiosidades sobre as revistas.
A coleção não será vendida, mas distribuida gratuitamente aos visitantes do Festival Guia dos Quadrinhos. Mas, atenção: as quantidades são limitadas! Apenas os primeiros visitantes a chegarem ao evento, nos dias 9 e 10 de abril, receberão os conjuntos completos com 10 cards. Os visitantes que comprarem ingressos antecipados para o evento garantirão seus conjuntos de cards, enquanto as quantidades durarem. O segundo lote de ingressos, já à venda, poderá ser comprado online até 25 de março pelo site www.guiadosquadrinhos.com/festival/ingressos.
Idealizada pelo organizador do evento, Edson Diogo (também criador do site Guia dos Quadrinhos, o maior portal sobre histórias em quadrinhos lançadas no Brasil) a coleção pretende trazer novos conjuntos de 10 cards a cada edição anual do Festival Guia dos Quadrinhos. Ao longo dos anos, os visitantes terão à sua disposição cards com informações que traçarão um painel da trajetória dos quadrinhos no Brasil desde seus primórdios.
Considerado por muitos como o evento nerd mais divertido de São Paulo, o Festival Guia dos Quadrinhos ocorrerá no Club Homs (Avenida Paulista, 735), um dos mais tradicionais centros de evento de São Paulo, próximo ao metrô Brigadeiro. Entre outras atrações, o evento terá seu tradicional Mercado de Pulgas, com vendas de quadrinhos, mangás e outros colecionáveis; um Centro de Artistas, com o melhor da produção nacional de HQs na atualidade; debates; workshops para desenhistas; quiz nerd; exposições de arte, um leilão beneficente de artes originais e artistas convidados de renome internacional. A organização é de Edson Diogo e do jornalista e editor de quadrinhos, Maurício Muniz.

Serviço:
Festival Guia dos Quadrinhos 2016
Quando: 9 e 10 de abril
Horário: das 11h às 21h (dia 9) e das 10h às 20h (dia 10)
Onde: Club Homs – Avenida Paulista, 735 (estação Brigadeiro do metrô)
Ingressos na porta: R$ 30,00
Ingressos com desconto:
www.guiadosquadrinhos.com/festival/ingressos


sexta-feira, março 18, 2016

Festival GUIA DOS QUADRINHOS dobra de tamanho em 2016

O tradicional evento de quadrinhos será realizado na Avenida Paulista e contará com 70 expositores, 28 mesas de artistas e muitas atrações em dois dias de diversão. Os ingressos com desconto já estão à venda na internet



Criado em 2009, o Festival Guia dos Quadrinhos é único entre os eventos de cultura pop do Brasil. Só ele abre espaço para stands nos quais colecionadores podem trocar e vender quadrinhos raros e outros ítens fora de linha que não são encontrados em nenhum outro lugar.
Mais expositores!
Nos últimos anos, o evento também abriu espaço para editoras, sebos e lojas especializados em produtos nerds e mangás, lojas de brinquedos e, principalmente, para artistas de quadrinhos brasileiros. Para sua edição de 2016, o Festival Guia dos Quadrinhos foi transferido para um novo espaço e dobrou a capacidade de seu Mercado de Pulgas. A última edição do evento, em 2015, teve 35 expositores e 9 mesas de artistas. Mas, para este ano, o evento trará 70 expositores diversos e 28 mesas de artistas com o que há de mais atual na produção de quadrinhos nacional.
Artistas convidados!
Pela primeira vez, o evento também terá quatro artistas convidados, que participarão de debates sobre quadrinhos, venderão seus trabalhos e autografarão suas obras para os fãs. São quatro profissionais que trabalham tanto para o mercado brasileiro quanto para editoras estrangeiras e são astros da nona arte: Ivan Reis (Liga da Justiça, Aquaman); Julia Bax (Daikiri, X-Men: Primeira Turma), Felipe Massafera (Lanterna Verde, Superman) e Danilo Beyruth (Astronauta: Magnetar, Gwenpool).
Exposições de arte!
O evento terá duas exposições de arte. Uma apresentará artes originais do desenhista homenageado desta edição, o premiado Laudo Ferreira, autor de obras como Yeshuah e O Estranho Mundo de Zé do Caixão. A outra exposição homenageará o clássico seriado Batman, de 1966, com bastidores, curiosidades e fotos raras da série, além de artes criadas por artistas brasileiros especialmente para a ocasião.
Leilão Beneficente!
Outra novidade desta edição do evento será um leilão beneficente de artes originais doadas por desenhistas de quadrinhos como Roger Cruz e Joe Bennett em prol do quadrinista Cadu Simões (criador do personagem Homem-Grilo), que enfrenta problemas de saúde. Esta é a chance de muitos fãs levarem para casa belíssimas peças de arte exclusivas e, de quebra, ainda ajudar em uma ótima causa.
E muito mais!
Também fazem parte da programação dos dois dias do Festival Guia dos Quadrinhos 2016 outras atividades, como workshops para aspirantes a desenhistas; avaliação de portfolios; concurso de cosplay; debates e palestras sobre quadrinhos, cinema e TV e Quiz Nerd com prêmios para os acertadores.
Pelas atividades que proporciona a seus visitantes e pela interação que promove entre profissionais do entretenimento e o público, o Festival Guia dos Quadrinhos é chamado por muitos de “o evento nerd mais divertido de São Paulo” e é uma ótima pedida para adultos, jovens e crianças. Logo será divulgada a programação completa do evento.
Ingressos já à venda!
Já é possível garantir presença no Festival Guia dos Quadrinhos 2016! Ingressos com desconto já estão à venda em www.guiadosquadrinhos.com/festival/page/ingressos, mas também estarão disponíveis para venda na porta, nos dois dias do evento!
Organizado por Edson Diogo; designer gráfico e criador do site Guia dos Quadrinhos (www.guiadosquadrinhos.com) e pelo jornalista Maurício Muniz, especializado em cultura pop, o Festival Guia dos Quadrinhos 2016 terá lugar no Club Homs (Avenida Paulista, 735) nos dias 09 e 10 de abril. Local de fácil acesso, próximo ao Metrô Brigadeiro, o Club Homs é um dos mais famosos centros de eventos de São Paulo.
Serviço:
Festival Guia dos Quadrinhos 2016
Quando: 9 e 10 de abril
Horário: das 11h às 21h (dia 9) e das 10h às 20h (dia 10)
Onde: Club Homs – Avenida Paulista, 735 (estação Brigadeiro do metrô)
Ingressos na porta: R$ 30,00
Ingressos com desconto:
www.guiadosquadrinhos.com/festival/ingressos

quinta-feira, março 17, 2016

Gian Danton lança livro de terror na Gibiteca de Curitiba


Um som aterrador soa pela cidade. Quem o ouve tem seu cérebro modificado e se transforma num zumbi, governado pelos instintos mais básicos e violentos do ser humano. Essa é a premissa de O uivo da górgona, livro de terror de autoria do roteirista de quadrinhos Gian Danton financiado pelo Catarse que será lançado dia 25, na Gibiteca de Curitiba, às 19 horas. Na ocasião haverá também um debate sobre financiamento coletivo com a presença da autora Má Matiasi, que recentemente publicou seu livro O feiticeiro também via Catarse.
Gian Danton é roteirista de quadrinhos desde 1989. No começo da década de 1990 ficou famosa sua parceria com o desenhista Joe Bennett, em especial nas histórias de terror lançadas em revistas como Calafrio e A hora do crepúsculo. No ano 2000 escreveu a graphic novel Manticore, que transformava o fenômeno chupa-cabra numa trama de horror e ficção-científica e faturou diversos prêmios. Nos últimos anos, além de quadrinhos, tem se dedicado à literatura, participando de diversas antologias de fantasia e terror. Seu primeiro romance, Galeão, é uma história de fantasia sobre um navio à deriva no Atlântico.
O uivo da górgona, embora seja literatura, tem um estilo que ecoa as tiras de quadrinhos com capítulos curtos que terminam em uma situação de suspense que é desenvolvida no capítulo seguinte: “O uivo é resultado de um apanhado de referências, desde meu interesse pelo cérebro humano e os comportamentos coletivos até narrativas como O Eternauta, do roteirista argentino Oeterheld, em que o suspense é usado como elemento fantástico”, explica Gian Danton.
Na história, pessoas que ouvem determinado som têm as células do neocórtex destruídas e passam a ser governadas pelo complexo reptiliano, num comportamento violento e puramente instintivo.
Outra atração do projeto é a belíssima capa do desenhista paranaense João Ovitzke, pouco conhecido no meio editorial, mas dono de um traço que combinou perfeitamente com a história de terror. O livro tem 294 páginas e será vendido ao preço promocional de 30 reais.
Na ocasião do lançamento, Gian Danton e Má Matiasi debaterão sobre o financiamento coletivo como alternativa para publicação de livros. Má Matiasi é autora do livro de fantasia O Feiticeiro, uma saga de ficção fantástica que acompanhará a vida de Andy Mideline, nativo da pequena aldeia de Ecklacia que se descobre portador de poderes inimagináveis. A obra também estará à venda durante o evento.

SERVIÇO
Lançamento do livro O uivo da Górgona
Onde: Gibiteca de Curitiba

Quando: 25 de março, às 19 horas. 

Sérgio Moro, seja patriota


terça-feira, março 15, 2016

O dia em que o presidente militar virou piada internacional


Em 1968, a Rainha da Inglaterra presenteou o presidente militar brasileiro Costa e Silva com um faqueiro de ouro. Agora, descobriu-se que na verdade, o tal faqueiro de ouro é só uma bugiganga falsa do tipo que se encontra baratinho em sites de venda de réplicas. Ou seja: a Rainha da Inglaterra deve estar rindo até hoje do presidente caipirão que foi incapaz de perceber a diferença entre um faqueiro de ouro de verdade e um faqueiro falso. 
O episódio deixa claro que para as autoridades da época o regime militar brasileiro era uma grande piada. 
Para conhecer a história inteira, clique aqui

Bolsonaro: "Ter filho gay é falta de porrada!"


Agora que Bolsonaro é candidato oficial à presidência, os marketeiros querem criar um Bolsonaro paz e amor e por isso o candidato não tem evitado dizer aquilo que acredita. Mas em vídeos mais antigos é possível entender melhor o que realmente Bolsonaro pensa.

segunda-feira, março 07, 2016

A irracionalidade fascista


Quando morávamos em Belém, eu o amigo Alan Noronha costumávamos conversar sobre nossos futuros filhos. Como deveriam ser, como não poderiam ser etc. No final, sempre uma conclusão: como quer que fossem, aceitaríamos bem, desde que não fossem fascistas.
Na época não tínhamos filhos, mas um garoto-prodígio que conhecíamos fazia as vezes de filho substituto. O Charles desenhava incrivelmente bem com 14 anos, aprendera japonês sozinho, era um superdotado óbvio. Talvez por não ter tido filhos, o Alan continuou tendo-o como um filho por muitos e muitos anos, mantendo contato, aconselhando-o.
Embora eu tenha me afastado fisicamente, sempre me lembrava com carinho do garoto superdotado que conhecemos em Belém e que parecia ter um grande futuro pela frente. Assim, foi com muita tristeza que tanto eu quanto o Alan o vimos transformar-se, pouco a pouco, num fascista, deixando-se seduzir pelo canto da sereia do autoritarismo bolsonariano.
É triste ver alguém brilhante ir trilhando os caminhos da irracionalidade e do fanatismo político, na ideia de um salvador da pátria que, obedecido cegamente, irá livrá-lo de todos os problemas. Tive que bloqueá-lo. Depois o Alan.
Agora é com tristeza que o vejo comentando em meu blog em um post em que explico o que é uma teoria científica. E ele: "seus artigos são como um crime contra a humanidade". Pelo comentário, vejo que ele já foi totalmente dominado pela irracionalidade e fanatismo a ponto de achar a ciência e o método científico um crime. É triste ver alguém que parecia ter tanto futuro, alguém que considerávamos um filho, descer a esse nível.

Janela indiscreta


Janela indiscreta (Alfred Hitchcock, 1955) é um dos melhores filmes da história do cinema. Uma verdadeira aula de cinema (e, se você souber fazer as conexões necessárias, de quadrinhos).
Para quem não conhece a história, trata-se de um fotógrafo impossibilitado de sair de casa após quebrar uma perna que se diverte observando os vizinhos, até presenciar o que acha ter sido um assassinato.
A sequência inicial é uma ótima demonstração da força narrativa das imagens. A câmera passeia pelo conjunto de prédios e nesse passeio, sem que nenhuma palavra seja dita, conhecemos tanto o ambiente da história quanto seus personagens, suas manias, características, suas histórias. É um filme com múltiplas narrativas paralelas que são acompanhadas em sequências praticamente mudas, em que ouvimos uma ou outra frase. No final, uma outra sequência de imagens mudas fecha a narrativa e nos mostra o que aconteceu com cada um dos personagens.
É também um filme sobre a força da sugestão. Tudo é mais sugerido do que mostrado - a começar pelo próprio assassinato, que em nenhum momento é mostrado.
Exemplo dessa sugestão é a rua, lá fora, que é entrevista apenas por um pequeno corredor. Provavelmente havia cenário apenas no trecho que pode ser visto pelo expectador, mas este imagina a rua inteira.
Cinema, como quadrinhos, é a arte de mexer com a imaginação do receptor.
Em tempo: Janela Indiscreta está na programação Clássicos Cinemark e passará novamente quarta-feira à noite.