quarta-feira, julho 06, 2011

A banda mais bonita da cidade e a psicologia de massa

Um dos mais espantosos virais da internet na atualidade é o clipe Oração, d´A banda mais bonita da cidade. Não só o clipe se tornou um sucesso espantoso, como a música se tornou um chiclete. Quem ouve, começa a cantar.
O que temos aí é um típico fenômeno de massificação. No comportamento de massa, as pessoas agem como se estivessem na multidão, mas sem a proximidade física. É um comportamento governado pelo complexo límbico, ou cérebro mamífero, responsável pelo instinto de manada, socialização e pelos sentimentos. Da mesma forma que os bois seguem uns aos outros, a massa quer fazer parte de um grupo, segui-lo e identificar-se com ele.

O sentimento aí é de felicidade: todas as pessoas que aparecem no clipe estão felizes, alegres e o receptor quer compartilhar isso, quer fazer parte dessa festa, dessa alegria.
Essa sensação de pertencer a um grupo é elevada pela própria estrutura do clipe: no começo, vemos um homem só, cantando, de forma quase melancólica. Quando ele começa a andar com ele, outras pessoas vão aderindo à música e ela vai se tornando alegre. Nesse sentido, o plano sequência é perfeito, pois simula a criação de uma multidão, com os membros aderindo um a um ao grupo. Na medida em que isso acontece, também o receptor, atrás do monitor do computador, sente  vontade de aderir e sentir essa felicidade, participar desse grupo.
A estrutura repetitiva da música aumenta essa sensação e fala diretamente ao cérebro límbico. Os boiadeiros também costumam entoar canções repetitivas para direcionar a boiada. A repetição não só fala ao nosso desejo de fazer parte de um grupo, mas também aos nossos sentimentos. Mais: nós associamos a repetição ao período em que somos bebês e ouvimos o bater do coração de nossas mães. Portanto, é uma sensação de conforto.
Com letra simples, repetitiva e fácil de ser decorada, A banda mais bonita da cidade consegue com perfeição criar condições para sua massificação, daí o sucesso.

Em tempo: o fato de ter sido massificada não impede a música de ter qualidade técnica. Nesse caso, ao contrário. Tanto musicalmente quanto visualmente o clipe é muito bom. Aliás, a forma como a letra brinca com a redundância e a informação dava um artigo analisando Oração do ponto de vista estético. Qualquer dia escrevo sobre isso...

4 comentários:

  1. resumo: "quem gostou do clipe se comporta como um animal (o que é inaceitável, mesmo nós sendo animais tb), exceto EU, que sou um ser superior; superior inclusive para reconhecer numa notinha de rodapé que a música e o clipe têm, sim, qualidade técnica"

    ResponderEliminar
  2. olha, pode ser exagero :X

    ResponderEliminar
  3. Anônimo, não tem isso de se sentir superior. Não se trata de uma análise estética, portanto o fato da música ter sido massificada não significa que ela seja ruim. O objetivo era tentar explicar como a música conseguiu tanto sucesso em tão pouco tempo. Entender como isso acontece é importante, mas não tira o valor da música, que, aliás, eu gostei muito. E, como digo aos meus alunos, ninguém consegue ser público 24 horas por dia. O problema é ser massa 24 horas por dia.

    ResponderEliminar
  4. Apesar da precariedade da internet em que eu pude ver e escutar o video, deixo aqui meus sinceros comentários. Como massa, me envolvi e tambem quis fazer parte do video, tocando algum instrumento. E como público, e tambem estudante de música, eu percebi uma linguagem muito simples o que deixa o ouvinte muito próximo dos artistas. Isso faz com que, quem assite tambem deseje fazer parte daquele sentimento que ao longo do clip vai se tornando cada vez mais intenso. Isso na minha opnião foi o diferencial e o motivo do sucesso deles. Tornou-se tão próximo ao ponto de mobilizar tanta gente. Desejo mais sucesso pra eles!!!!!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.