quarta-feira, setembro 12, 2012

Para tudo se acabar na quarta-feira

Intempol é um universo temático surgido em 2000 com o livro Itempol, uma antologia de contos sobre viagens no tempo (ed. Ano Luz). Esse universo se expandiu para várias outras iniciativas. Uma delas é o álbum Para tudo se acabar na quarta-feira, com roteiro de Octavio Aragão e desenhos de Manoel Ricardo, lançado em 2011 pela editora Draco.
A história tem duas narrativas paralelas. Uma delas parece mais um comentário sobre o universo Intempol e suas possibilidades. Nela, um desenhista é morto por revelar em seus quadrinhos os segredos da organização secreta, mas depois se transforma no seu próprio personagem, mostrando que os personagens podem viajar não só no tempo, mas também entre universos, inclusive os ficcionais.
A segunda narrativa, e a mais importante, conta a história de um traficante em guerra para conseguir dominar todos os pontos de drogas do Rio de Janeiro. Em meio a essa guerra, ele vê a namorada sendo assassinada enquanto desfilava no carnaval. Ele precisa descobrir quem a matou e "quem dá a corda no relógio de suas vidas e tentar virar a ampulheta a seu favor, antes de se afogarem em samba, suor e sangue", como diz o texto da contracapa.
Quem já assistiu Os 12 macacos certamente irá se lembrar ao ler Para tudo... As possibilidades da viagem no tempo são muito bem exploradas, com, por exemplo, ações que acontecem no futuro tendo influência no passado. Aragão maneja bem a trama e os diálogos. Manoel Ricardo, embora esteja em seu primeiro trabalho profissional, dá conta do recado com maestria.
De negativo, apenas a capa. A roupa do personagem é da mesma cor do fundo, criado uma confusão visual e tirando o destaque do protagonista (especialmente porque a gráfica parece ter mudado a cor da capa). 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.