sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Menos da metade dos professores de escolas públicas leem no tempo livre

Levantamento mostra que dos 225.348 professores que responderam à questão, 45% leem sempre ou quase sempre, 21% o fazem eventualmente e 34% nunca ou quase nunca

 

Agência Brasil

Um cabo de vassoura que era capaz de falar e sentir era o protagonista do primeiro livro lido pela então adolescente Denise Pazito. Hoje, professora e pedagoga no Espírito Santo, ela fala da experiência em seu blog. "O livro foi indicado pela escola. Provavelmente, eu estava no 4.° ou 5.° ano. Ele se chamava Memórias de um Cabo de Vassoura e o seu autor era Orígenes Lessa. Professora inspirada a minha. Acertou na mosca. Uma história encantadora. Me encantou pelo mundo das letras."
Mas assim como são capazes de encantar, os professores têm em suas mãos o poder de desencantar, não por intenção, às vezes por desconhecimento. Uma pesquisa feita peloQEdu: Aprendizado em Foco, uma parceria entre a Meritt e a Fundação Lemann., organização sem fins lucrativos voltada para educação, mostra que menos da metade dos professores das escolas públicas brasileiras tem o hábito de ler no tempo livre. Leia mais

1 comentário:

  1. Memórias de um cabo de vassoura e Confissões de um vira-lata foram meus livros de infância.
    Quando jovem, era uma menina muito timida, calada, mas viajava nas leituras dos livros que tinhamos numa estante enorme na parede de casa. Meu pai nunca terminara os estudos, pois precisou trabalhar muito novo. No entanto, possuia uma coleção de livros desde a coleção do Tarzam a livros de trovas. Agora quero insentivar minha filha a leitura. Esse blog já foi apresentado para ela. Estamos curtindo muito.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.