quinta-feira, maio 11, 2017

Quem eram os judeus da floresta?


Era um grupo de judeus que, fugindo dos nazistas se embrenhou nas florestas da Bielorússia e montou uma vila organizada como comunidade judaica, com sinagoga, escola, teatro e enfermaria.
Em junho de 1941 os alemães invadiram a Rússia, onde começaram a massacrar judeus, ou a aprisioná-los em guetos. Na localidade de Novogrudek foram mortos os pais e outros parentes dos irmãos Tuvia, Asael e Zus Bielski. Após a matança, eles decidiram fugir para a floresta e, lá, montar um grupo de resistência aos nazistas.
Junto com eles foram outros 13 judeus fugitivos do gueto de Novogrudek. Instalados em local seguro, eles começaram a circular uma mensagem entre os judeus escondidos ou presos pelos nazistas convidando-os a salvar suas vidas fugindo para a floresta. Assim, a comunidade chegou a ter mais de mil habitantes.
Tuvia Bielski era um veterano do exército polonês e usou as táticas aprendidas no exército ao lutar contra os nazistas. Ele governava o local com mão de ferro, organizando as condições para que os judeus pudessem sobreviver à floresta e aos nazistas.
Os judeus da floresta não se contentavam em salvar outros judeus. Também atacavam posições nazistas, sabotando seus equipamentos. A resistência era tão feroz que acabou chamando atenção do exército russo, que tentou cooptá-los diversas vezes. Tuvia aceitou colaborar com os partisans soviéticos, mas se negou entrar para o exército russo.
Em 1943 os nazistas invadiram a floresta em busca de rebeldes e o comandante soviético tentou convencer Tuvia a dividir sua comunidade entre guerrilheiros e civis, para que os não-combatentes “não fossem um fardo”, mas Tuvia sabia que isso deixaria os civis sem proteção contra os alemães e preferiu mudar sua vila de lugar, embrenhando-se mais na floresta.

Em 1944 os soviéticos conseguiram expulsar os nazistas da Bielorrussia e os 1230 judeus da floresta puderam voltar para casa, na pequena vila de Novogrudek. Se não fosse os irmãos Bielski, provavelmente teriam morrido nas mãos dos nazistas. 

Sem comentários:

Enviar um comentário