terça-feira, Maio 18, 2010

Morreu uma heroina da II Guerra

Recebi por e-mail. Irene Sendler de fato existiu (leia mais sobre ela na Wikipedia) e salvou milhares de crianças judias. E perdeu o Nobel da Paz para Al Gore e seu slide show.  Que não seja esquecida.


Uma senhora de 98 anos chamada Irena faleceu há pouco tempo.   

Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações. 

Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazis relativamente aos judeus (sendo alemã!)   

Irena trazia meninos escondidos no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira, na parte de trás da sua camioneta (para crianças de maior tamanho). Também levava na parte de trás da camioneta, um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto.   

Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer. 
Enquanto conseguiu manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.   

Por fim os nazis apanharam-na e partiram-lhe ambas as pernas e os braços e prenderam-na brutalmente.   

Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, que guardava num frasco de vidro enterrado debaixo de uma arvore no seu jardim.   

Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a familia. A maioria tinha sido levada para aa câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adoptivos.   

No ano passado foi proposta para receber o Prémio Nobel da Paz... mas não foi seleccionada. quem o recebeu foi Al Gore por uns dias positivos sobre o Aquecimento Global 

Não permitamos que mais uma vez, esta Senhora seja esquecida!! 

1 comentário:

Patrícia Castro disse...

Bah Ivan, gostei muito de ter sabido da incrível história dessa maravilhosa mulher. Uma, porque faço uma disciplina de Direitos Humanos (Direito). Outra, como enriquecimento pessoal, pois vemos o quanto somos mesquinhos, enquanto ela doou sua vida colocando-a em risco, nós fazemos tão pouco pelo próximo. Grande abraço