segunda-feira, junho 11, 2012

O caso da agressão à jornalista do Café com Notícia

No dia 6 de junho, na última assembleia do sindicato dos professores, SINSEPEAP, a jornalista Ilziane Launé foi agredida. A reunião decidiria se a classe ia continuar em greve ou não e ela transmitia ao vivo quando começou a ser agredida verbalmente, teve seu crachá de imprensa arrancado e foi expulsa da quadra do colégio CCA. Não foi a única. No Facebook, o amigo Carlos Picanço escreveu: "como sabes sou um apaixonado por fotografia, a assembleia dos professores foi no CCA, perto de casa, passei por lá e percebi que seria uma grande foto todos os professores reunidos... fui em casa e voltei com a minha câmera, estava regulando a máquina quando os professores começaram a gritar, jogar água e proferir ameaças dizendo que eu tabalhava para o Camilo Capiberibe, os seguranças me cercaram e tive que bater em retirada para preserva a minha integridade física.... mesmo professores que foram meus colegas no Colegio Amapaense "me desconheceram", alguns quando lembraram de mim ficaram envergonhados e acabaram se misturando na turba quando falei com eles "Tu me conheces, por que estão fazem isso??" Não dá para reconhecer aquele monte de pessoas como professores, o movimento está sem controle....". Ou seja, outras pessoas também foram agredidas.
Abaixo, reproduzo a entrevista que fiz com a jornalista.

Você estava credenciada para fazer a cobertura da assembleia? Onde foi feito esse credenciamento?
Estava, recebi uma credencial do Sinsepeap com o  meu nome. O credeciamento estava sendo feito do lado de fora da quadra e qualquer pessoa para adentrar a mesma era necessário estar indentificado. Eu antes de entrar no ar fiz o contato com o professor, Aroldo Rabelo, presidente do Sinsepeap.

Quando começaram as agressões? Houve algum fato que levasse a essa reação? 
As agressões começaram quando eu coloquei o telefone para ouvir o pronunciamento do presidente na assembléia. A professora Cristiane disse q não podia fazer aquilo, imediatamente rasgou minha credencial do Sinsepeap e chamou os seguranças, a professora Lia Borralho gritava na quadra "fora, fora, fora...". Dessa forma fui retirada da quadra e depois de dentro da escola pelos seguranças. Tudo foi transmitido ao vivo pela Diário FM, no Café com Notícia.

Você registrou um BO. Pretende levar essa ação em frente? O BO foi registrado contra o Sindicato ou contra as professoras especificamente?
Registrei BO, prestei depoimento e hoje (11), a professora Cristiane prestará seu depoimento. Vou levar até o final o caso. Já foi marcada a audiência no Forúm de Macapá dia 20/06. O boletim foi registrado somente contra as professoras: Cristiane e Lia Borralho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.