sexta-feira, agosto 24, 2012

A hipótese de Eistein

O chão se despedaça sob mim, engolindo a estrutura de metal em meio ao caos escarlate. O céu negro tomado por raios anuncia a minha morte. O mundo está acabando à minha volta e não há nenhum humano por perto.
Era uma experiência simples. Um salto no tempo. Todos nós atravessamos o tempo, diariamente, indo em direção ao futuro. Mas estamos praticamente parados. Eu ia pular no tempo usando a velocidade. Para mim teriam se passado apenas alguns segundos. Lá  fora  seriam 15 minutos. Era a hipótese de Einstein. Mas Einstein nunca sonhou com isso. Para mim foi pouco mais que um piscar de olhos. Lá fora se passaram 15 mil anos. Para quem olhasse de foram a nave pareceria quase parada, pois estava na verdade se movendo no tempo.
Nesse intervalo um cataclismo parece ter acabado com toda a vida na terra e em breve eu, o último homem, também irei morrer. Fui o homem que mais viveu na história da humanidade... e, no entanto, a minha vida foi muito curta.  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.