quinta-feira, janeiro 31, 2013

Clássicos da dupla Gian Danton - Joe Bennett

O compadre Joe Bennett (atual desenhista do Gavião Negro) tem publicado no Facebook as antigas histórias de quando trabalhava para o mercado nacional, histórias na maioria com roteiro meu. É a ansiedade de ver esse material publicado de  maneira correta. De fato, duas editoras estão interessadas no material: a Orago quer fazer um álbum com as histórias de terror e a Kalaco deve publicar dois álbuns, um com histórias eróticas e outro só com a Família Titã.
Essas histórias foram publicadas em revistas com papel jornal, colocadas sem nenhum destaque nas bancas de jornais. Mesmo assim, ganharam uma legião de fãs e se tornaram cult.  Nós introduzimos no quadrinho nacional as inovações que Alan Moore e cia estavam fazendo nas revistas de terror, como Monstro do Pântano, com um horror hard. Muita gente já me relatou que não conseguia dormir depois de ler nossas histórias.
Um detalhe curioso é que, como algumas dessas revistas eram vendidas lacradas, o Bené bolou um lance de puro marketing: passou a pintar a borda de nossas histórias de preto. Desse modo, os fãs saberiam quando a revista tinha histórias da dupla mesmo sem abrir a publicação. Com o tempo os editores perceberam que as revistas que tinham as já famosas bordas pretas vendiam mais.
Publico abaixo uma seleção de algumas dessas HQs.
A primeira história da dupla. Detalhe: o Bené usou só pincel  para fazer a arte-final. Uma homenagem ao Príncipe Valente.

Motos, vampiros e gangues. Essa história foi publicada posteriormente nos EUA pela Phatagraphics.

Publicada na revista Mephisto Terror Negro, essa história era uma homenagem ao Alan Moore e um manifesto defende um novo tipo de terror.

Família Titã. Essa história se tornou um cult ao contar a história de super-heróis como uma tragédia grega.

Íncumbo: nossa história mais pesada. Uma garota recebe a visita de um demônio e começa a ter desejos estranhos. Muita gente não dormiu à noite por causa dessa HQ.

Primeira história da dupla publicada na revista Mephisto. O Bené foi logo mostrando que não economizaria nos detalhes macabros. A revista, que vendia 40% da tiragem, pulou para 70% por causa dessa história.

História inspirada no conto "O nariz", de Gógol, do qual sou fã. Transformamos em uma história de terror.

Os fãs gostam mais da Família Titã, mas tanto eu como o Bené consideramos essa a nossa obra-prima. Conta  a história de uma turista em Belém que perde tudo e tem que se virar em uma cidade violenta. Muita gente passou a associar a música dos Engenheiros com nossa história. Aliás, uma curiosidade: todas a história era baseada em músicas citadas no início dos capítulos.


Sem comentários:

Enviar um comentário