sexta-feira, abril 19, 2013

Um E.T. no meu quarto


Moira Magno Andrade 
 
Uma noite, estava indo dormir, estava indo em direção à minha humilde cama quando de repente vi uma luz vindo do guarda-roupa. Paft! As portas do guarda-roupa abrem e batem fortemente no meu rosto. Dentro do guarda-roupa, uma coisa verde e estranha aparece na minha frente. Um E.T.
-Socorro!
-Eu venho em paz.
-Em paz?
-Leve-me ao seu líder.
-Líder?
-Você é papagaio, moleque? Repete tudo que eu falo!
-Repito?
-Sim!
-O que você quer de mim?
-Leve-me ao seu líder.
-Prazer, Pedro.- diz o menino, convencido.
-Você é o líder?
-Sim, no futebol eu sempre sou o escolhido.
-Ô moleque burro! Leve-me ao dono do planeta.
-Hum... tá difícil. O dono nunca está no planeta sorvete.
-Planeta sorvete? Não é isso! Eu quero que me leve ao dono do mundo.
-Acho que o dono do mundo dos brinquedos não está na loja.
-Loja? Aaaaaargg! Esqueça. Agora traga-me sua melhor comida.
-Com prazer. Pronto.
-Deixe-me provar...o que é isso?
-Chiclete de morango.
-Quanto custa esse negócio no seu planeta?
-R$0,10.
-Traga-me outra coisa.- ordena o E.T.
-Tome isto.
-Nossa! Que coisa congelante. O que é isso?
-Sorvete de chocolate.
-Quanto custa?
-R$1,00.
-Caramba! As coisas do seu planeta são muito baratas! Conseguirei comprar seu mundo por um preço baratíssimo, além de fazer vocês, humanos, meus escravos. Menino, traga-me outra comida. A mais cara e gostosa que tiver.
-Aqui está.
-Hum... que delícia! O que é isso?
-Açaí.
-E esse negócio branco em cima?
-Farinha.
-Isso é muito bom! Quanto custa?
-A gota do açaí tá em média R$210,00.
-O quê?????????
-O pacote com 100 gramas de farinha tá uns R$920,00.
-Como é?
-Aqui a conta senhor: um milhão e duzentos reais.
-Peraí! Isso não é um restaurante, é um quarto, você é só uma criança humana e eu sou só um extraterrestre.
-É, amigo, a vida não está fácil pra ninguém.


Minha filha escreveu esse texto para a escola. Achei bem escrito, com um bom final e pedi para ela digitar para publicar no blog. E aí, gostaram? 

1 comentário:

  1. Sensacional ! ! ! Transmita meus parabéns a autora, Gian. O texto é muito envolvente. Começa devagarinho, meio misterioso e vai crescendo e surpreendendo, se torna engraçado e termina crítico e analítico. Muito bom!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.