quarta-feira, novembro 25, 2015

A rejeição a pesquisas sobre erotismo




Sexo é um tema que sempre provoca preconceito e polêmica, inclusive na academia. Lembro de quando apresentei um trabalho sobre Carlos Zéfiro na disciplina de Antropologia Cultural, ainda na graduação, alunos de diversas outras salas foram lá para ver, apenas por causa do tema (alguns provavelmente indignados rs). 
Interessante verificar que todas as pesquisas importantes sobre quadrinhos eróticos no Brasil (os livros sobre Zéfiro do Ota Assunção e do Joaquim Marinho, meu livro Grafipar a editora que saiu do eixo e o livro Maria Erótica e o clamor do sexo, de Gonçalo Jr) foram produzidos fora do ambiente acadêmico.
Atualmente, com o conservadorismo cada vez maior da sociedade brasileira, é possível que essa rejeição aumente ainda mais, especialmente por causa da pressão de parte significativa da sociedade. Não vai demorar, começarão a pipocar denúncias contra os poucos trabalhos que tratam do assunto, não só nos quadrinhos, mas no cinema e outras mídias. 
Ou seja: uma grande área de nossa produção cultural corre o risco de se perder, não ser registrada, analisada e mesmo reconhecida como parte de nossa cultura.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.