sexta-feira, janeiro 27, 2017

O conhecimento jornalístico

Recentemente, o jornalismo tem sido visto como uma importante forma de adquirirmos conhecimentos sobre o mundo. Tanto que muitas pesquisas na área de história, por exemplo, têm sido feitas tomando por base dados coletados por jornais. Na área de história, especificamente, tem estado em moda a chamada história do cotidiano, que é uma aproximação do conhecimento jornalístico. No Brasil, o mais famoso representante dessa nova corrente, Eduardo Bueno, autor da coleção Terra Brasilis (editora Objetiva) é um jornalista.
         O principal teórico do jornalismo como forma de conhecimento é o catarinense Adelmo Genro. Ele parte de três categorias criadas por Hegel para explicar o que é o jornalismo e sua diferença da ciência. Para Hegel, havia três categorias de conhecimento: o singular, o particular e o universal.
         O singular trata daquilo que o fato ou objeto de estudo tem de diferente dos demais. O particular vê esse fato pelo que ele tem de semelhante com uma categoria de coisas e o universal se interessa por suas semelhanças com uma categoria ainda maior. Assim, um homem é singular pelo que tem de diferente de todos os outros. É particular porque ele participa de uma determinada categoria, como uma família, uma profissão, ou mesmo uma nação. E é universal porque faz parte do gênero humano.
         Para o singular, interessa o homem específico, com características que o fazem diferente de todos os outros.
         O conhecimento filosófico interessa-se apenas pelos universais. O conhecimento científico oscila entre o particular e o universal. O conhecimento jornalístico trata do singular.
         Diante de um homem que se suicidou, o jornalismo vai tratar da singularidade do fato. Quem era ele? Que método ele utilizou para se matar? Quando ocorreu a morte? Por que ele se matou? Onde? A ciência, ao contrário, vai interessar em perceber o que o fato tem de semelhante a outros? Outras pessoas já se mataram na região? O que elas tinham em comum? É possível identificar algum traço coincidente que possa ser usado para explicar o fato (por exemplo, todos era desempregados)?
         No livro A Viagem do Descobrimento, Eduardo Bueno fala da chegada dos portugueses ao Brasil sob um ótima do singular. Enquanto para a ciência normal interessa o que esse fato representa no contexto das grandes navegações, o livro vai se preocupar com as singularidades dessa viagem. Um exemplo: os portugueses passaram quase um mês no Brasil, ao lado de um rio, e não há registro de que tenham tomado um único banho.
         Por outro lado, o jornalismo cumpre um importante papel: o de divulgar as descobertas e teorias científicas. A característica do jornalismo de universalização do público faz com que conhecimentos que eram opacos até mesmo para cientistas de outras áreas, se tornem facilmente compreensíveis.
         Esse papel do jornalismo ganha destaque diante das críticas que especialmente Edgar Morin tem feito à especialização da ciência.
CARACTERÍSTICAS DO CONHECIMENTO JORNALÍSTICO
Trata da singularidade dos fatos
Parte da observação dos fenômenos

É um dos principais divulgadores do conhecimento científico.

Sem comentários:

Enviar um comentário