segunda-feira, março 27, 2017

O uivo da górgona - parte 21


21
O professor ficou ali, parado, ouvindo o som da linha. Esperara tanto por aquele momento, pela oportunidade para falar com alguém e agora não sabia para quem ligar. Nenhum número lhe vinha à mente, como se qualquer informação a esse respeito tivesse sido apagada.
Então ele ouviu um barulho de vidro quebrado. Por alguma razão esse som o arrepiou. Imagens de sua mulher e sua filha vieram para ele como flashes. A filha lhe estendia a mão, a última vez que ele a vira, os vidros quebrados, estilhaçados, e ela estendendo as mãos e chorando.

O telefone ficou lá, um eco contínuo de cacofonia pendurado no gancho, balançando em espirais, enquanto ele corria para a cozinha. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.