terça-feira, abril 25, 2017

O que eram os protocolos dos sábios de Sião?

Os protocolos dos sábios de sião é um texto falso, redigido na época da Rússia Czarista, que descrevia um projeto de dominação mundial por parte dos judeus. Segundo o livro, o texto seria a ata de uma reunião ocorrida a portas fechadas na Basiléia no ano de 1807, na qual vários maçons, judeus, bolcheviques e rosacruzes teriam se reunido para elaborar um plano de destruição do cristianismo.
Entre os planos estavam explosões em cidades européias e inocular tifo em chefes de estado. Quando o mundo estivesse totalmente dominado, esses grupos iriam estuprar as mulheres cristãs e escravizar seus maridos.
Desde sua primeira publicação, várias investigações foram feitas e todas demonstraram que se tratava de uma fraude. Um artigo no The Time of London, de 16 a 18 de agosto de 1921 demonstrou que o texto era plágio de vários outros textos, entre eles sátiras políticas, como O diálogo no inferno entre Maquiavel e Montesquieu, de Maurice Joly. A inovação ficou por conta do caráter anti-semita do texto.
O quadrinista Will Eisner realizou uma extensa pesquisa sobre o assunto, publicada na graphic novel O complô.  Na HQ, Eisner mostra que a origem do texto se deve a uma intriga política na Rússia.

Os protocolos foram o principal argumento usado pelos nazistas para justificar o extermínio de judeus. 

Sem comentários:

Enviar um comentário