sábado, abril 29, 2017

Os judeus mataram Jesus?

Um dos argumentos do anti-semitismo é de que os judeus foram responsáveis pela morte de Jesus e, em decorrência disso, devem sofrer. No Novo testamento é dito que Pilatos trouxe Jesus para  a frente da multidão de judeus, colocando-o ao lado de um rebelde violento, Barrabás, e perguntou quem deveria ser solto. A multidão gritou Barrabás. Pilatos ainda tenta argumentar em vários momentos, em favor de Jesus, mas seu destino é selado pelos judeus. Ocorre que esse é o episódio mais contestado do Novo Testamento. Em nenhum outro caso registrado um procurador romano indagou ao povo sobre o que deveria fazer.
Os historiadores acreditam que os evangelistas procuraram poupar Pilatos como forma de conquistar a confiança dos romanos. O objetivo da seita, na época, era agradar aos romanos, como forma de difundir religião cristã.
Como era necessário culpar alguém, a culpa recaiu sobre os judeus.

A referência a Barrabás também tem raízes históricas. Ao mostrar a escolha do povo por um rebelde, o evangelista Marcos estaria criticando a opção do povo pela luta armada em vez da salvação pacífica representada por Jesus. Segundo Marcos, ao escolher Barrabás, a multidão de judeus teria dito: “Que o Seu sangue caia sobre nós e nossos filhos”. A frase, sem muito sentido para uma multidão que havia acabado de fazer uma escolha, é na verdade uma referência à revolta judaica contra os romanos, na qual morreram um milhão de judeus. Para os cristãos, que não haviam se envolvido no conflito, era como se Deus estivesse penalizando os israelitas. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.