segunda-feira, maio 15, 2017

Defesa de doutorado


Aconteceu no dia 9 de maio, no auditório da Faculdade de Artes Visuais da UFG a defesa de minha tese A fantástica história de Francisco Iwerten: hiper-realidade e simulacro nos quadrinhos do Capitão Gralha, orientado pelo professor .
A tese analisa o caso Francisco Iwerten, quadrinista fake, que foi tido como real a partir do conceito de hiper-realidade (quando a ficção torna-se tão verossimilhante que é percebida como realidade). Além disso, como a linha de pesquisa é de poéticas, foram produzidas e analisadas quatro obras, que configuram um trabalho transmídia: um álbum de quadrinhos, uma biografia fake, um fanpage e um guia visual.
Da esquerda para a direita: Prof. Thiago, Prof. Rosa, Prof. Edgar, eu, Prof. Henrique. 

A banca foi composta, além do orientador, por Prof. Dr. Rosa Maria Berardo (UFG), Prof. Dr. Thiago Fernando Sant’Anna e Silva (UFG), Prof. Dr. Gazy Andraus (UEG) e pelo Prof. Dr. Henrique Paiva de Magalhães (UFPB). 
A sobrecapa do trabalho, com arte de JJ Marreiro, emulava as capas dos pulp fictions.

O trabalho foi muito elogiado pela banca tanto por sua originalidade (é uma das poucas produções científicas brasileiras sobre o tema) quanto por sua fundamentação, ponto que foi resumido na fala do Professor Doutor Henrique Magalhães: 
"Um dos méritos da tese de Ivan Carlo, além do arcabouço teórico que lhe dá coerência e propriedade, é instigar nossas dúvidas sobre o quanto estamos sujeitos à manipulação midiática não só das grandes corporações, mas de informações advindas de toda parte, fragmentadas e atomizadas nas redes sociais, informações que ganham vulto à medida que se replicam em infinitas conexões de rede que dissimulam e escondem sua origem. Informações nem sempre mal-intencionadas – embora as haja em abundância – mas que fogem do domínio daqueles que as criaram e tomam corpo próprio, com suas derivações, alterações, deturpações, até se tornarem novas informações, alienadas de sua origem". 
A  já tradicional pose acadêmica.

No final o trabalho foi aprovado pela banca com indicação unanime para publicação por sua qualidade e ineditismo.  


9 comentários:

  1. Parabéns professor por mais essa conquista. Estou curiosa para ler o seu trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado. A tese será publicada em breve. Já fechei com uma editora interessada.

    ResponderEliminar
  3. Muito interessante o tema. Nunca tinha ouvido falar em hiper-realidade.

    ResponderEliminar
  4. Hiper-realidade, segundo a definição usada por mim em minha tese, é a ficção tão verossimilhante que é tida como real. No meu trabalho apresento vários exemplos, de Edgar Alan Poe a Lovecraft, passando por Orson Welles.

    ResponderEliminar
  5. Mas o tema hiper-realidade e a fake arte são totalmente novos. Boa parte do mérito do trabalho se deve ao meu orientador, o prof. Edgar Franco, que conseguiu entender o projeto e apostou nele. Houve uma pessoa que participou da minha banca de mestrado que já afirmou que se estivesse na minha banca de doutorado me reprovaria, pois para ele, o trabalho tratava-se de fraude. Mesmo formado em comunicação e direito, ele não conseguiu distinguir a diferença entre ficção e fraude.

    ResponderEliminar
  6. Esse termo hiper-realismo existe tbm no meio teatral e vem a calhar nesse tese.

    ResponderEliminar
  7. O que sairá pela editora somente a tese, a biografia ou algo a mais?

    ResponderEliminar
  8. A biografia do Iwerten já saiu, ano passado, pela Quadrinhópole. Este ano vai sair apenas a tese. O ideal, para quem ler a tese, é ler também a biografia e o álbum de quadrinhos do Capitão Gralha, mas não é obrigatório. Dá para entender tudo apenas com a tese.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.