sábado, maio 20, 2017

O uivo da górgona - parte 58


58
Alan foi o primeiro a perceber que não estavam sós, mas quando se virou para chamar os outros, a pessoa havia sumido.
- Vocês viram? – disse, virando-se, para os outros.
- Tinham alguém ali. – respondeu Edgar. Mas não consegui ver direito quem era.
Zu puxou a galinha para perto de si:
- Será um daqueles zumbis?
- Se fosse, já teria nos atacado. – decidiu Edgar.
- Concordo. Vamos procurar. Pode ser mais um sobrevivente.
O grupo se entreolhou.
- Vão. – disse Jonas. Eu e Zulmira ficamos tomando conta da menina.

Edgar e Alan irromperam pelo corredor do shopping. Felizmente ainda era dia e havia a iluminação natural, que vinha das claraboias.
- Mais tarde vamos procurar lanternas. Vamos precisar. – avisou o professor.
- Sim, sim. – respondeu Alan, sem prestar atenção.
Ele olhava à volta, em busca de qualquer sinal de movimento.
- Nada. – disse, por fim. Quem quer que seja deve ter entrado em uma dessas lojas. Se tivesse indo pelo corredor, nós teríamos visto.
Edgar concordou com a cabeça e levou o dedo aos lábios, pedindo silêncio. Então apontou para as portas das lojas.
Foram andando, cuidadosamente, ao longo das lojas, atentos a tudo.
Em certo ponto Alan parou e apontou para baixo.

A porta corrediça de uma loja infantil estava abaixada pela metade. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.