quinta-feira, junho 01, 2017

Qual a relação da igreja católica com o nazismo?


A igreja católica não teve relação direta com o nazimo, mas foi muito próxima do fascismo italiano.
Em 1870, as várias cidades italianas se uniram num único país e as terras papais foram transformadas em propriedade do estado. Isso fez com que a Igreja ficasse pobre e sem poder político. Dizem que o Vaticano caía aos pedaços, com esgoto entupido e ratos espalhados pelo prédio. A situação se reverteria com a chegada de Mussolini ao poder. O ditador italino assinou com o papa Pio 11 o Tratado de Latrão, que não só dava à Igreja um território, como fazia uma doação de cerca de 90 milhões de dólares.
Embora tenha recuperado as finanças da igreja, o pacto foi péssimo para a imagem do Vaticano. No fim da vida, Pio 11, arrependido, escreveu uma encíclica condenando o anti-semitismo e, portanto, o nazismo. Faltavam apenas dois dias para a publicação quando o papa morreu, sendo substituído por Pio 12, que simplesmente arquivou o documento. Ele considerava o nazismo um mal menor diante do perigo do comunismo.
Mesmo quando a perseguição e morte de judeus se tornou pública, o papa nunca se pronunciou contra o nazimo, razão pela qual tem sido chamado de O Papa de Hitler.

Após a guerra, grupos católicos ajudaram oficiais nazistas a escaparem para países da América Latina. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.