quinta-feira, junho 22, 2017

Quem foi Klaus Barbie?



Klaus Barbie foi o Diretor da Gestapo, a polícia política alemã. Era famoso pela brutalidade com que torturava os prisioneiros. Foi um dos grandes responsáveis pelo Holocausto.
Klaus nasceu em uma pequena cidade do vale do Reno. Entrou para a SS em 1936. Em 1940 foi enviado para os países baixos para procurar judeus e adversários políticos do nazismo. É para fugir da sua perseguição que a família de Anne Frank viveu escondida.
Em 1942 ele assume a direção da Gestapo, cargo no qual foi implacável e cruel.
Entre os atos que o tornaram famoso está o assassinato de Jean Moulin, braço-direito de Charles De Gaulle na resistência francesa. Barbie só conseguiu pegá-lo graças à denuncia de René Hardy, um amigo de Moulin.
Barbie e seus subordinados o torturaram quase até a morte e depois o deixaram no pátio da prisão, entregue à sua própria sorte. Moulin morreu uma semana depois.
Outro crime famoso de Barbie foi a destruição de um campo onde se escondiam crianças judias. Com idades inferiores a 14 anos, elas tinham se refugiado numa pequena aldeia perto de Lyon, na França. O diretor da Gestapo caçou-as uma a uma, deportando-as para Auschwitz, de onde nenhuma delas saiu viva.
Klaus Barbie era famoso pela crueldade que usava nos interrogatórios. Os prisioneiros que se recusavam a falar eram punidos com chicotadas, amputações, fome e afogamentos. Suas vitimas afirmam que ele tinha especial prazer com os interrogatórios.
Terminada a guerra, Barbie desapareceu e foi julgado à revelia na França, sendo condenado à pena de morte. Na verdade, ele se tornara agente do serviço secreto americano e depois fugira para a Bolívia para oferecer seus serviços ao ditador local, Luis Garcia Meza.
Depois viajou para a Europa com o nome falso de Klaus Altmann, para negociar a compra de veículos usados para reprimir as manifestações da oposição.
Foi reconhecido pelo filho de um homem assassinado em Auschwitz, mas só foi extraditado para a França em 1983, quando a Bolívia voltou a ser um país democrático. Em 1987 foi julgado na cidade Lyon e condenado à prisão perpétua.

Em nenhum momento Klaus Barbie deu mostras de arrependimento. Ao contrário, dizia estar satisfeito por ter livrado a França do perigo comunista. Morreu de leucemiana prisão, em 25 de setembro de 1991. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.