domingo, janeiro 03, 2021

Demolidor – a noite mais longa da minha vida

 


Quando se fala em Demolidor, poucas pessoas pensam no escritor de ficção científica Harlan Ellison. No entanto, ele foi o criador, junto com Arthur Byron Cover e David Mazzucchelli, de duas das histórias mais eletrizantes do personagem.

Publicadas em Daredevil 208 e 209, a HQ é uma trama de vingança. Ellison pega um gancho antigo, da fase inicial de Miller no título, quando o homem sem medo enfrenta o vilão Arauto da Morte e este acaba falecendo no encontro. Sua mãe usa toda a fortuna da família para programar uma casa cujo único objetivo é matar o Demolidor. Ela programa também uma menina-robô cujo objetivo é atrair o herói para dentro da casa.

O desenho de Mazzucchelli se destaca. 


O título não é por acaso. É de fato uma noite longa, em que o herói enfrenta todo tipo de ameça: bombas, alucinógenos, crocodilos, areia movediça, cobras, gases venenosos, dardos... é uma sequencia verdadeiramente alucinante de ação e que explora bem a grande característica do personagem: o fato de, mesmo sofrendo, apanhando, se ferindo, jamais desistir.

Talvez essa trama ficasse inverossímil na mão de um desenhista menos habilidoso, mas Mazzuchelli faz um trabalho magistral, antecipando obras seminais que ele faria depois, como A queda de Matt Murdock ou Batman ano um.

A narrativa é alucinante. 


Na edição seguinte, já fora da casa, o Demolidor é perseguido pelas outras bonecas usadas para atraí-lo para a armadilha enquanto Matta Murdock reencontra um velho amigo de infância. Embora o ritmo não seja tão frenético, é uma história que consegue prender o leitor até o final comovente.

Essas histórias foram publicadas no Brasil em Superaventuras Marvel 49 e 50.

Sem comentários: