domingo, abril 03, 2011

As mães de Chico


Fomos assistir As mães de Chico.
Algo interessante foram os traileres. Dos quatro filmes anunciados, dois eram espíritas (inclusive uma adaptação do Livro dos Espíritos), o que mostra o sucesso desse tipo de fita.
Depois de Chico Xavier e Nosso Lar, ambos muito bons, a curiosidade sobre As mães era grande.
O roteiro é muito bem construído, com as elipses certas e as três histórias de três mães, que se encaixam no final. Mas a direção deixa a desejar. A edição é arrastada, lenta, apelando continuamente para a emoção com um uso talvez exagerado da trilha sonora (a trilha em alguns momentos é uma muleta para a narrativa). Além disso, os efeitos especiais são muito fracos em comparação, por exemplo, com Nosso Lar. Incomoda porque parece linguagem de TV, inclusive em termos de efeitos, vertida para o cinema.
O filme só pega fôlego lá pelo final, com uma revelação surpreendente sobre o personagem Santiago (e um ótimo exemplo de como uma elipse pode salvar um roteiro). Mas mesmo assim, uma edição mais rápida ajudaria a segurar o expectador.
Esses problemas, claro, não prejudicam a película, que parece ter agradado a maioria das pessoas (muita gente estava chorando na exibição de ontem) e, segundo informações dos funcionários, todos os ingressos foram vendidos.
Talvez o maior problema de As mães de Chico tenha sido ser lançado depois do ótimo Nosso Lar, o que torna inevitáveis as comparações.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.