domingo, outubro 13, 2013

Macapá: a capital brasileira da música alta


Delegado Sávio Pinto, da DEMA: exonerado.
Tenho viajado por diversas capitais brasileiras, seja participando de congressos de comunicação ou eventos de quadrinhos. Em nenhum local por onde passei, mesmo na região norte, vi uma cultura tão difundida da música alta. Mesmo em cidades da região Norte, como Belém, em que esse problema é real, ele se restringe à periferia ou a regiões isoladas. Em Macapá não existe local onde as pessoas não abusem da música alta: do centro da cidade aos bairros mais afastados, não há como fugir.
Um dos motivos é que Macapá é uma cidade pequena. Quem coloca som alto muitas vezes é amigo ou parante de uma autoridade, de modo que nada acontece e a lei não é cumprida. Mesmo a Polícia Ambiental, o máximo que faz é pedir para baixarem o som. Quando vão embora, volta ao volume normal. Ou outro vizinho liga o seu som.
Recentemente tivemos aqui no Amapá uma pessoa disposta a enfrentar o problema: o delegado Sávio Pinto, da Delegacia do Meio Ambiente, que resolveu fazer cumprir a lei.
Mas, embora estivesse fazendo o serviço pelo qual é pago para fazer, o delegado parece ter desagradado alguma autoridade, tanto que foi afastado pelo Departamento de Polícia Especializada, sem justificativa ou qualquer ato solene.
O delegado entrou na justiça e conseguiu ser reconduzido ao cargo, mas não se sabe até quando ele continuará na Delegacia de Meio Ambiente.
O delegado conta com o apoio das pessoas de bem,  que querem só viver suas vida em paz, sem serem importunadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.