sábado, novembro 05, 2016

O BNDES e a política econômica petista


Há alguns dias fiz uma postagem criticando o BNDES e uma pessoa deixou um comentário segundo o qual aquela postagem só poderia ser feita por alguém que só lê blogs petistas. Esse comentário revela o nível de burrice de ignorância política de boa parte da população atual.
Pode procurar em todos os sites e blogs petistas, você não encontrará nenhuma crítica ao BNDES. Por uma razão muito simples: o BNDES foi a base da política econômica do PT.
Embora já existisse antes do PT, o BNDES se tornou o principal instrumento de uma política econômica marxista que parte do princípio de que o Estado deve ser responsável pelo crescimento econômico de um país.
A ideia é que emprestar dinheiro para empresários a juros abaixo da inflação criaria crescimento econômico e geraria empregos. Mas esse crescimento econômico é artificial, afinal é feito com dinheiro do governo, e não do mercado.
Além disso, não adianta nada estimular o consumo se não há quem consuma, se a população não tem dinheiro para comprar os produtos que estão saindo das fábricas.
O PT, ainda seguindo a ideia marxista de que o governo deve ser responsável pelo crescimento econômico, tentou resolver isso facilitando o crédito para a população. Todos nós vimos esse fenômeno: de repente, em cada esquina tinha uma financeira emprestando dinheiro para quem não tinha dinheiro. Eu vi lojas fecharem para virarem financeiras. Lembro que no auge dessa política econômica eu tentei comprar um carro a vista e não consegui: as lojas só vendiam a crédito (acabei comprando a vista sem um único centavo de desconto. Era a farra do crédito (há um vídeo da superinteressante que explica como isso provocou uma explosão dos preços dos carros no Brasil). Um país em que as empresas preferem vender a crédito que à vista é um país bizarro economicamente.
Mas, da mesma forma que injetar dinheiro público em empresas privadas só provoca um crescimento artificial, facilitar o crédito para a população, também provoca um crescimento artificial. Afinal, a pessoa não está comprando com dinheiro que tem. Está comprando com dinheiro que não tem. Em resumo: a pessoa vendia o jantar para comprar o almoço. Todos nós conhecemos pessoas que entraram em espirais de divida, pegando dinheiro emprestado para pagar empréstimos anteriores.
Chega uma hora que essa bolha artificial estoura. E aí temos a crise que estamos vivendo no Brasil.
Pior: essa política econômica faz com que haja muito dinheiro circulando no mercado e onde há muito dinheiro há... inflação!
Ou seja: a política econômica do PT, cujo principal instrumento era o BNDES provocou tanto a crise que vivemos quanto a inflação.
Mas parece que em um ponto a propaganda petista foi eficiente: conseguiu convencer até mesmo os inimigos do PT de que essa política econômica estava certa, apesar de todos os indícios ao contrário.
E, ao que tudo indica, o governo Temer seguirá com a mesma política econômica. Só em 2016 foram 270 bilhões destinados ao bolsa-empresário. E para 2017 estão previstos 250 bilhões - valor que deverá aumentar, pois o BNDES não está incluído no teto de gastos da PEC 241 (ou seja, a principal razão pela qual a PEC foi criada não foi contemplada na PEC).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.