quarta-feira, março 08, 2017

O uivo da górgona - parte 6


6
A mulher ainda se debateu um pouco mais, até soltar um último urro final, que parecia uma mistura de dor e desespero. Então a multidão começou a se afastar dela. Cada um trazia algo na mão. Inicialmente Edgar achou que a tivessem roubado, então olhou direito. Foi a menina com a boneca que o fez perceber o que estava acontecendo.
(oh, meu Deus, oh meu Deus, não!)
Ela se afastou carregando algo na mão e levando à boca, como se fosse um pirulito. Mas não era um pirulito, ou um picolé, era... Um dedo! Um dedo humano! Da mulher que fora encoberta pela horda. Edgar ainda podia ver o esmalte vermelho na unha, agora já desgastado.
A menina o levava à boca e chupava e lambia, como se fosse uma iguaria.. O dedo era grande demais para sua boca pequena, mas ela o mastigava abrindo e fechando muito a boca, sangue e saliva escorrendo de seus lábios.
Uma mulher se apropriara do fígado e parecia não se decidir entre mastigar e lamber o sangue que escorria. Outro dos zumbis tentou roubar-lhe o pedaço escarlate de carne, mas ela o repeliu com um rosnado. Este voltou ao seu pedaço de carne e a esqueceu. Devia ser um dos seios e ainda trazia consigo uma parte do tecido da blusa, mas o homem comia assim mesmo, sem fazer qualquer distinção entre roupa e carne.

Edgar fechou os olhos da menina em seu colo, apertando-a contra seu peito, mas até mesmo ele tinha que se segurar para não vomitar com a imagem da multidão se fartando com aquele banquete nojento. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.