terça-feira, maio 30, 2017

O que foi o dia D?


O dia D foi uma das maiores operações militares da II Guerra Mundial. Nela, ingleses, norte-americanos e canadenses invadiram o continente europeu pelas praias da Normandia. A necessidade dessa operação surgiu em um encontro entre Franklin Roosevelt, presidente norte-americano, Winston Churchill, primeiro-ministro britânico, e Josef Stalin, premier da União Soviética, em Teerã, no Irã. O líder russo insistiu que não poderia sustentar sozinho uma guerra contra a Alemanha na Europa. Para ele, era necessário abrir uma frente ocidental na guerra, para dividir os esforços nazistas.
Embora relutantes, pois sabiam que invadir o continente provocaria um grande número de mortes, os líderes da Inglaterra e dos EUA concordaram, pois duas possibilidade os assustavam. Eles temiam que Stalin pudesse assinar um tratado de paz com Hitler ou, pior, que ele libertasse a Europa toda, ficando todo o continente sob as asas da Rússia.
A operação foi chamda de Overlord (senhor supremo) e foi cuidadosamente planejada. A idéia era bombardear fortemente as posições alemãs, enviando para-quedistas para atacarem por trás, cortando as linhas de comunicação e tomando pontes, enquanto uma multidão de soldados aliados avançavam pelas praias.
No comando da operação foi colocado o general norte-americano Dwigth Eisnhower.
O principal problema a ser resolvido era quanto ao desembarque. A tecnologia existente na época contava com barcos pesados e difíceis de manobrar, além de muito vulneráveis. O projetista naval norte-americano Andrew Higgins solucionou o problema criando os lanchões, barcos de 10 metros que conseguiam carregar até 30 soldados, manobrar em águas rasas e voltar para pegar uma nova leva de pessoal ou equipamento.

O dia D aconteceu em 6 de junho de 1944.   

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.