sábado, maio 27, 2017

O uivo da górgona - parte 64


64
De fato, a maioria da comida ainda estava congelada.
- O shopping tem gerador. Deve ter funcionado por algum tempo antes que acabasse o combustível.
- Isso significa que...
- Sim. Se conseguirmos combustível, vamos poder ligar novamente o gerador e ter energia.
Jonas cuidou de cozinhar alguns hambúrgueres na chapa e fritar batata-frita, que já estava cortada, o que facilitava muito o serviço.
Sofia foi quem mais apreciou a refeição, embora Edgar tenha se preocupado com a quantidade de maionese e catchup que ela colocou no sanduíche.
Zu comeu apenas pão e batata frita. Edgar comeu apenas um pouco de pão. Estava sem fome.
Alan e Dani comeram lado a lado. Alan molhava batata-frita no catchup e lhe dava na boca. A garota parecia feliz com isso.
Quando terminaram, Edgar e Jonas pegaram o corredor. Tinham rumo certo: a lojas Americanas, onde o professor queria pegar alguns itens, como travesseiros, toalhas, sabonetes, pasta e escovas de dente.
Enquanto Jonas abria a fechadura, o professor voltou a pensar no assunto: onde ele aprendera isso?
- Estive pensando em uma coisa. – disse Jonas.
- Hm? – fez Edgar.
- Os zumbis lá embaixo. No estacionamento. Precisamos cuidar deles.
- Até agora eles não subiram. Não parecem ameaça e temos outra saída.
- Até agora havia uma única pessoa no shopping. Agora aumentou o número de pessoas e, portanto, o barulho. Não vai demorar muito para que isso chame a atenção deles. Além disso, para ligar o gerador, precisamos descer ao estacionamento.
A tranca se abriu com um estalo e a porta corrediça subiu.
- O que sugere? – perguntou Edgar.
- Vamos ter que descer lá e resolver isso. Ou estaremos em eterno perigo.
- Você diz?
- Vamos ter que matar todos eles.
Edgar pegou sacolas grandes e as encheu com um kit de travesseiro, cobertor, toalhas, escovas e pastas de dentes. Ao voltarem, deu um para cada.
Jonas descobriu que nos banheiros dos funcionários havia chuveiros e todos, exceto Zulmira tomaram banho.

Dormiram sentados nas cadeiras do cinema. Edgar sentia-se desconfortável. Estava acostumado a dormir de lado. No dia seguinte iria procurar um colchão, pensou, enquanto observava Alan e Dani. Os dois estavam deitado lado a lado, lá na frente, próximo à tela, e também não estavam dormindo. “Eu devia ter pego camisinha”, pensou. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.