segunda-feira, maio 29, 2017

O uivo da górgona - parte 66


66
No dia seguinte, quando acordou, Edgar sentiu o cheiro reconfortante de café. Levantou-se, saiu do cinema e foi seguindo o cheiro. Jonas encontrara uma cafeteria e a colocara em funcionamento.
- É muito bom sentir esse cheiro! – comentou Edgar.
- Como prefere?
Edgar riu: 
- Cappucinno.
- Temo que o chantili tenha estragado. Mas vou fazer o que posso com leite em pó, chocolate e canela.
Edgar provou. Estava muito bom.
- Não quero atrapalhar seu café, mas temos que resolver aquela história...
- Qual?
- Os zumbis no estacionamento.
Edgar ficou em silêncio, olhando para o outro. Sabia que era verdade. Sabia que a única forma real de evitar o perigo era matar todos os zumbis lá embaixo, mas mesmo assim tentava adiar a decisão. Matar por defesa era uma coisa, mas descer lá embaixo e exterminá-los? Não parecia nada agradável. Disse isso a Jonas.
- Além disso, eles são violentos. Nada garante que um de nós não seja morto.
- Vamos ter que agir em silêncio e tentar matar um a um.
Edgar sorveu lentamente o café, pensativo.
- Está bem, quando faremos?

- Hoje de manhã. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.