sexta-feira, novembro 11, 2016

Não compartilhe informações falsas

Se há um assunto sobre o qual tenho falado há anos é a respeito dos perigos das informações falsas veiculadas na internet - a maioria das quais poderia ser facilmente descoberta com uma pesquisa de segundos no Google.
Essa preocupação se estende inclusive à minha pesquisa acadêmica. Em 2013, por exemplo, apresentei no Congresso Intercom artigo sobre como uma notícia falsa provocou uma crise de combustível em uma capital do norte do Brasil.
E, claro, se estende à minha produção artística. A obra A Pet humana, realizada em conjunto com o artista anapolino José Loures, era um alerta sobre o compartilhamento de informações na internet sem a devida checagem dos fatos.
Há pouco mais de cinco anos, desfiz amizade e bloqueei um "amigo" justamente porque ele compartilhava informações falsas como arma contra determinado grupo político. Ao contestá-lo, ele me respondeu que, dentro da ética maquiavélica, o compartilhamento de notícias falsas era plenamente válido.
Quando o bloqueei, há mais de cinco anos, jamais poderia imaginar que ele iria se vingar criando uma notícia falsa a meu respeito - a de que eu estaria usando de fraude no meu doutorado.
Pior foi ver muitas pessoas repercutindo essa informação falsa (e até certo ponto irônica, já que a difusão de informações sem verificação é um dos temas que trato na minha tese).
Até o momento, o dano não foi muito além do linchamento virtual (as ameaças de me denunciar ao programa de doutorado e à universidade em que leciono ainda não se concretizaram e, se concretizarem, será mais uma das muitas provas que estou recolhendo), mas notícias falsas podem provocar sérios danos e até morte.
Em 2014, por exemplo, uma mulher foi espancada e morta após um boato espalhando em uma página de internet.
Em 2015, um estudante, acreditando com isso que estaria ajudando a causa feminista, forjou um estupro na UFG, em Goiânia, e por pouco não provocou um outro linchamento (por sorte, ninguém com as características mencionadas por ele apareceu no local nos dias seguintes à falsa denúncia).
Assim, pesquise antes de compartilhar. Não compartilhe informações falsas só porque não gosta de alguém. Isso não faz de você um herói - só faz de você um mentiroso. E, lembre-se: notícias falsas pode acabar com a vida de pessoas - em alguns casos, literalemnte.

1 comentário:

  1. Fiquei espantado com o fato de o amigo ao ser bloqueado se vingar inventando uma mentira, ciente que hoje em dia é muito fácil criar este tipo de pulha virtual que se espalha rapidamente.

    Fico preocupado com a duração dessas porcarias, tenho guardado já faz bem uns 5 anos um e-mail em que tentei alertar as pessoas da minha lista de mensagens sobre este fato, o de não confirmar a fonte ou o fato.

    E por favor não se espante ao saber que esta minha lista se acabou por conta de que preferiram viver as mentiras que parece ser mais divertido.

    Lembro deste caso da mulher morta que supostamente usava crianças em rituais de magia negra, e fico divagando a situação, o que sentirá a pessoa que iniciou o boato com este final trágico, quem inventou, assassinou uma pessoa, será que alguém se deu conta?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.