segunda-feira, janeiro 30, 2017

Conhecimento científico: o Círculo de Viena

Essa corrente de pensamento de inspiração positivista surgiu na Europa no início do século XX. Acreditava na possibilidade das ciências humanas e sociais seguirem as mesmas metodologias das ciências naturais.
         O Círculo de Viena estava preocupado em diferenciar o conhecimento científico dos outros tipos de conhecimento. Eles partiam de algumas perguntas básicas: o que é conhecimento científico? Que tipo de conhecimento pode ser caracterizado como científico?
         Eles iniciaram distinguindo dois contextos: o da descoberta e o da verificação.
         O contexto da descoberta é aquele em que o cientista faz sua descoberta. Para o Círculo de Viena, esse era um contexto irrelevante para se definir se esse conhecimento é científico ou não. A descoberta pode ter surgido, por exemplo, de um sonho, de uma alucinação ou simplesmente de uma coincidência...
Para o Círculo de Viena, o que realmente importa na definição do que é científico ou não é o contexto da justificativa. Ou seja, é a forma como o cientista vai explicar sua descoberta aos pares.
         O Círculo de Viena dava grande importância à verificação. Assim, o cientista deveria explicar detalhadamente como chegou aos seus resultados para que outros pesquisadores, repetindo a experiência, pudessem chegar aos mesmos resultados.
         Para evitar equívocos (intencionais ou não) era necessário usar uma linguagem unívoca. Ou seja, cada termo utilizado no trabalho deveria ter uma única interpretação.
         Nas ciências sociais, o pensamento do Círculo de Viena influenciou os pesquisadores a definirem muito bem os termos utilizados.
         Em um trabalho sobre aborto em casos de violência sexual, o que é aborto? O que é violência sexual? Será que uma esposa pode acusar o marido de a tê-la violentado? A definição desses termos, e a utilização dos mesmos com uma única significação ao longo de todo o trabalho, asseguram a interpretação correta e a cientificidade do trabalho.
         O Círculo de Viena também estabeleceu o princípio da verificação. Ou seja, o cientista deve repetir a experiência e verificar se chega sempre ao mesmo resultado antes de divulgar suas tese. Jamais se deve fazer juízos precipitados.

         Essa corrente de pensamento também acreditava que o método cientifico deveria utilizar a indução. 

Sem comentários:

Enviar um comentário