quarta-feira, abril 05, 2017

O que foi a guerra russo-finlandesa?

Após a invasão da Polônia, Stalin decidiu reconquistar teritórios perdidos para a Finlândia, alargando as fronteiras de seu império para Oeste. Em 30 de novembro de 1939, 29 divisões russas invadiram o país. Os finlandeses contavam com a linha de defesa Mannerheim, que, embora não fosse tão grande ou dispendiosa quanto a linha Maginot francesa, acabou servindo para parar o avanço russo.
O sétimo e décimo-terceiro exércitos russos tentaram se apoderar do Istmo de Carélia e o décimo quarto exército atacou o porto de Petsamo, no mar Ártico, uma importante área de mineração. O nono exército atacou a região central, mas sofreu uma humilhante derrota, sendo totalmente cercado e aniquilado.
As patrulhas finlandesas equipadas com esquis e chamadas de Bielaia Smert (morte branca – uma referência a seus uniformes brancos) atacavam pelos flancos, vindos da floresta, e provocavam muitas baixas.

No final, a Finlândia foi obrigada a entregar o Istmo de Carélia, a cidade Viborg e uma base militar na penísula de Hanko. Mas o custo foi alto para os russos. De um milhão de soldados, 200 mil morreram na invasão do pequeno país. Essa batalha foi fundamental para os rumos da II Guerra, pois mostrou a Hitler que a URSS não ofereceria resistência a um ataque da poderosa Alemanha. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.