quinta-feira, janeiro 12, 2017

Grafipar: A Editora que Saiu do Eixo [resenha]


Em “Grafipar: A Editora que Saiu do Eixo”, livro de autoria de Gian Danton pela Kalaco, o leitor tem contato com a história da revolucionária editora de quadrinhos eróticos do Paraná que teve um breve período de vida, mas revelou uma geração de artistas que viriam influenciar o mercado de quadrinhos brasileiros. Isso feito na época do regime militar, quando os gibis nos formatos do da Grafipar eram censurados e acusados de subversão.
No primeiro capítulo, conhecemos aquele que viria a ser ilustrador e editor-chefe da casa, Claudio Seto, então jovem auxiliar de caminhoneiros que gostava de pintar as portas dos caminhões nas estradas paulistas – algo comum durante a década de 1960. Seu talento logo seria reconhecido por profissionais da Votorantin que o levaram a trabalhar com arte em tecidos e fotolito. Junto a isso, mandava piadas para editoras e conseguiu trabalho na Edrel. Começava a carreira do homem que seria a pedra fundamental da Grafipar.
O livro situa o leitor sobre a curiosa origem da família Seto de descende de samurais falidos que tiveram que deixar o Japão em 1908 em busca de sonhos no interior do Brasil. Mas só encontraram condições extremas de trabalho, pois os imigrantes já chegavam endividados. No segundo capítulo, o leitor descobre que aquele que viria a ser chamado de o Samurai de Curitiba, fazia sucesso publicando trabalhos para a editora Edrel, mas teve uma carreira conturbada com a sanção do A1 que instalou a censura na imprensa e aprovou a perseguição a intelectuais e artistas. Leia mais
O livro pode ser adquirido diretamente comigo, via depósito bancários. Interessados, mandem e-mail para profivancarlo@gmail.com. 

Sem comentários:

Enviar um comentário