sábado, junho 17, 2017

O uivo da górgona - parte 73

73
Jonas e Alan saíram correndo pela rua, enquanto os outros olhavam pela janela. Corriam e gritavam, mas o mendigo ia se afastando e parecia não tê-los percebido.
Finalmente, Alan, mais rápido, alcançou-o e tocou em seu ombro.
O mendigo virou-se mais rapidamente do que era de se esperar e brandiu o cajado. Se Alan não tivesse se desviado a tempo, teria acertado diretamente sua cabeça.
A distância parecia um velho, talvez de sessenta anos, mas agora via-se que era bem mais jovem, certamente com menos de cinquenta anos.
O homem ficou lá, parado, batendo no ar com o cajado e emitindo resmungos incompreensíveis. Quando viu Jonas, pareceu ainda mais assustado.
Jonas aproximou-se lentamente, as mãos espalmadas na frente do peito, para mostrar que não estava armado.
- Calma, viemos em paz!
Mas o outro não respondeu. Ao contrário, grunhiu, arregrando os dentes por trás da barba enorme e desfeita.
-  Ele é surdo! – concluiu Jonas.
Teve uma ideia: mudou o gesto para a os dedos na direção da boca, como se estivesse comendo. Isso pareceu fazer efeito. O outro arrefeceu com a clava e olhou, intrigado. Jonas sorriu, fez de novo o gesto e apontou para trás, para o shopping.
- Temos comida. – disse, mesmo sabendo que o outro não ouviria. No fundo, esperava que ele pudesse de alguma forma compreender seus movimentos de lábios.
O mendigo repetiu o gesto de comer e grunhiu e Jonas soube que tinha conseguido se comunicar. Virou-se para Alan e, indicando com os olhos, colocaram-se na direção do shopping.

O mendigo foi atrás. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.