quarta-feira, junho 14, 2017

O uivo da górgona - parte 70

70
Os últimos metros foram os piores. Agora Edgar lutava não só contra o cansaço e as pernas que ameaçavam fraquejar, mas contra a suspeita de que Jonas o trancara ali, no estacionamento, junto com a horda de zumbis que logo estaria em seus calcanhares.
Jonas permanecia ali, impassível, ao lado da porta, a mão firme sobre a barra de madeira colocada à moda de tranca no batente da porta.
A porta de duas faces finalmente apareceu diante dele. E então se abriu.
                - Entre, rápido! – gritou Jonas. Não podemos correr o risco de manter essa porta aberta.
- Obrigado. – agradeceu Edgar, já quase sem respiração.
Ele já estava do lado de dentro e a tranca de madeira fora novamente colocada. Levou a mão ao peito, sentindo o coração disparar e só então olhou à volta. Faltava  alguém.
- Alan... onde está o Alan?
Jonas balançou a cabeça, preocupado:

- Está em algum lugar por ai. Cada minuto que passamos aqui, corremos o risco de chamar a atenção dos zumbis... se ele demorar muito, seremos obrigados a deixá-lo no estacionamento. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.